AMT não pode atender reivindicação dos comerciantes

Comerciantes da Avenida C-4 se reúnem com a AMT

Comerciantes da Avenida C-4, continuação da T-7, reuniram-se no último dia 11 com o vereador Denício Trindade e o presidente da Agência Municipal de Trânsito (AMT), Senival Ramos, para discutir a possibilidade de poder voltar estacionar na lateral direita da avenida.

Senival Ramos explicou que a AMT não pode atender a reivindicação dos comerciantes, pois o órgão está cumprindo determinação do Ministério Público de Goiás (MP-GO). “Estamos obedecendo a uma determinação judicial. A AMT está com as mãos atadas. Se autorizarmos os carros estacionarem levamos multa de R$ 20 mil por dia”, afirma o presidente.

Rafael Moyses da Silva, sócio-proprietário da vidraçaria Vidro Casa, alega que a proibição resultou em prejuízos. “Nós comerciantes, que pagamos impostos e geramos empregos, não podemos arcar com a conta. Se não pode parar, porque alguém vai entrar aqui ou em qualquer outro estabelecimento da avenida?”, indaga o jovem empresário.

O vereador Denício Trindade propôs marcar uma audiência com o MP para que no mínimo seja implantado o horário de carga e descarga.