Como acostumar meu cachorro com outras pessoas e animais?

Saiba por que, quando e a maneira correta para socializar os cães

Como acostumar meu cachorro com outras pessoas e animais? Esse é uma pergunta frequente | Foto: Reprodução

Como acostumar meu cachorro com outras pessoas e animais? Esse é uma pergunta frequente | Foto: Reprodução

Quando decidimos ter um cãozinho como parte integrante da família desejamos que ele seja sociável.

Receba bem os amigos e crianças, conviva em harmonia com outros animais e saiba se comportar em diferentes ambientes e situações.

No entanto, para que o filhote não se torne um cão adulto reativo ou medroso, temos um papel importantíssimo na vida dele, que é promover uma boa sociabilização.

Início

Entre o segundo e o terceiro mês de vida do cão a curiosidade dele supera o medo do desconhecido. Não existem grandes traumas que impeçam o pequeno de explorar as mais diversas situações.

LEIA MAIS: Seu cachorro gosta de cavar buracos no jardim? Veja como evitar

Por isso, é justamente nesta fase que a sociabilização deve ser iniciada.

Neste período, o filhote se encontra mais receptivo às novidades, tornando o processo de apresentação ao mundo mais fácil e favorável.

Devemos expor o filhote a diferentes estímulos como pessoas, animais, objetos, barulhos, ambientes e situações.

A apresentação deve sempre ser realizada de forma gradativa (sem pressa) e positiva.

Tenha paciência e tranquilidade neste processo, sempre respeitando os limites e a sensibilidade do filhote e dando-lhe apoio quando necessário.

Com pessoas

É interessante que o filhote tenha contato com todos: pessoas magras, altas, gordinhas, baixinhas, carecas, cabeludas, com e sem barba, homens, mulheres, crianças e idosos.

A apresentação e a interação devem ser agradáveis. Convide alguns amigos que amam filhotes para conhecer o seu e permita que eles brinquem e ofereçam petisquinhos ao amiguinho.

Com animais

O seu filhote deve ser apresentado aos mais diversos animais, sobretudo àqueles com os quais ele conviverá.

A apresentação deve ser sempre supervisionada e com cães que você já conhece o temperamento. Procure apresentar pets calmos e tranquilos para evitar qualquer tipo de susto ou associação negativa com a experiência.

Podemos promover brincadeiras e oferecer brinquedos, carinho, atenção e petiscos para ambos durante a interação.

Com objetos e situações

A apresentação de objetos e situações com os quais o cão conviverá durante a vida é importantíssima para que ele não tenha medo ou aversão.

Podemos citar, como exemplos, objetos como a coleira e a guia, aspirador de pó, secador de cabelo, carro, moto, ônibus, barulhos de buzina, fogos de artifícios e trovões.

Assim como as outras, essa apresentação também deve ser feita de forma gradual e positiva.

Podemos apresentar os objetos durante uma brincadeira ou passeio, por exemplo, valorizando mais o momento agradável do que o objeto ou a situação em si, de forma que o primeiro contato seja positivo e tranquilo.

Existe uma ressalva quanto ao período de vacinas e imunização. Nesta fase, que coincide com o período mais favorável para a sociabilização, é orientado que os cães não saiam para passear.

Promova, então, encontros com cães vacinados e saudáveis em sua casa ou passeios de carro e no colo.

Devemos ressaltar também que a maneira como a socialização é conduzida afetará a forma como o cão adulto entenderá e consequentemente se relacionará em sociedade.

É nesta fase também que uma má sociabilização implicará nos grandes traumas que o cão carregará por toda a vida.

Ser sociável é interagir e adaptar-se às diversas situações de forma natural e tranquila, tornando o cão mais resiliente e feliz.

Caso não se sinta seguro em realizar a sociabilização sozinho, procure orientações de um profissional.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter