Como um vereador sobrevive no mundo do crime?

Provavelmente a história do vereeador Santana Gomes (PSD), de Goiânia, seja contada algum dia por uma frase dita por ele, em diálogo com o empresário e acusado de contravenção, Carlos Cachoeira. Em diálogo no dia 5 de junho de 2011, o vereador, em tom ameaçador, disparou a seguinte frase contra Cachoeira, num telefonema.

– “Eu sobreviví até hoje nesse mundo do crime por que eu sei preservar as situações importantes, viu?

Santana Gomes emendou, ainda:

– “Se eu fizer uma delatação premiada muita coisa pode acontecer, viu?”

Não contente, emendou:

– “Vou te contar uma coisa, seu nome não anda anda muito bem não, viu?

Agora, façamos um exercício, o quê o veredor Santana Gomes quis dizer ao afirmar que sobrevive no “mundo do crime”?

O eleitor goianiense poderia perguntar se este vereador vai ter que explicar alguma coisa na Comissão de Ética da Camara Municipal de Goiânia. A princípio, não.

O quê vai acontecer? Anote aí.

Nada.

E ninguém vai fazer manifestação na porta da Camara Municipal de Goiânia para pedir um #ForaSantana.

A importância política dele exigiria algo tão grandioso? Não.

Observação: Os diálogos foram publicados na edição de 01 de maio de 2012, em O Popular.

Altair Tavares é diretor de Jornalismo, comentarista e apresentador da Rádio 730 – Goiânia. Professor da Faculdade Araguaia/Goiânia. Pós-graduado em Cinema e Administração de Marketing