De três nomes cogitados para presidir a FGF, dois são políticos

Folha Z conversou com os principais nomes considerados para a disputa

Eleições 2018 na FGF seguem indefinidas | Foto: Montagem

Eleições 2018 na FGF seguem indefinidas | Foto: Montagem

As eleições que definirão o próximo presidente da Federação Goiânia de Futebol (FGF) estão se aproximando.

Para traçar melhor esse quadro, o Folha Z conversou com os principais nomes considerados para a disputa.

Maguito Vilela

Ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Maguito Vilela | Foto: Reprodução

Ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Maguito Vilela | Foto: Reprodução

O primeiro deles (e que mais gerou repercussão) foi o ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Maguito Vilela.

Procurado pela reportagem, porém, Maguito descartou a possibilidade.

“Eu até gostaria, mas não posso, definitivamente”, disse o ex-governador.

Fontes próximas a Maguito confirmam que essa é uma vontade antiga do emedebista, que tem experiência no futebol.

Segundo ele, o trabalho para eleger seu filho, Daniel Vilela, ao Governo de Goiás, impede essa possibilidade.

“Tenho que me envolver de corpo e alma na campanha do Daniel, que é uma campanha difícil”, afirmou.

Maguito acredita que esse “não é o momento propício”, o que pode ser diferente no futuro.

Henrique Arantes

Deputado estadual Henrique Arantes | Foto: Reprodução

Deputado estadual Henrique Arantes | Foto: Reprodução

Além dele, o deputado estadual Henrique Arantes (PTB) também foi ventilado como possível nome para a disputa.

Henrique e seu pai, Jovair Arantes, são um dos pilares do Atlético Clube Goianiense.

“Os dois têm facilidade em agregar e conhecimento no futebol que poderiam desenvolver o Campeonato Goiano”, analisa o cronista esportivo Rondinelli Dantas.

Ao Folha Z, no entanto, o deputado afirmou que não houve nenhuma conversa nesse sentido, “nem de concreto e nem de abstrato”.

Segundo ele, o foco é nas eleições legislativas em 2018.

André Pitta

Atual presidente da Federação Goiana de Futebol (FGF) André Pitta | Foto: Divulgação / FGF

Atual presidente da Federação Goiana de Futebol (FGF) André Pitta | Foto: Divulgação / FGF

Na ausência de um segundo nome, o atual presidente da federação, André Pitta, segue como o principal candidato.

Ele assumiu o comando da FGF em 21 de agosto de 2007.

Em 2014, foi reeleito para mais um mandato de 4 anos, que se encerra em dezembro de 2018.

A chapa que o elegeu foi escolhida por aclamação, já que não teve oposição formalizada.

Ao Folha Z, Pitta afirmou que sua candidatura à reeleição em 2018 é uma possibilidade. Porém, ele conversa com os clubes para definir se esse será o caminho traçado.

De acordo com o estatuto do órgão, os presidentes podem ter apenas dois mandatos.

A mudança, no entanto, foi implementada durante a gestão de Pitta e não retroage em relação às eleições anteriores.

FGF na Justiça

Mas o pleito de 2018 já soma polêmicas antes mesmo de qualquer candidatura ter sido oficializada.

Uma decisão judicial emitida em junho obriga a FGF a disponibilizar uma lista com todos os clubes aptos e inaptos a votar no pleito.

Além disso, o juiz Rodrigo de Silveira também determinou que as eleições sejam realizadas após 60 dias da divulgação dos nomes dos votantes.

O estatuto da federação determina que cada time integrante nas duas primeiras divisões de futebol profissional tem direito a dois votos.

Já as equipes amadoras e ligas esportivas têm direito a apenas um voto.

De acordo com o presidente da FGF, André Pitta, a eleição será realizada dentro do prazo estabelecido pelo regimento, que é até dezembro de 2018.

LEIA MAIS: A explicação para a pior fase da história do Goiás em 5 visões diferentes


Quer receber mais notícias de esporte?

Mande uma mensagem para o Whatsapp do Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais do Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias de esporte”.