Final do Goianão: 5 razões para o Goiás trucidar a Aparecidense

Folha Z investigou os motivos para o tão citado favoritismo do Verdão. Você concorda?

Goiás e Aparecidense decidem no próximo domingo, 8, a Final do Goianão | Foto: Divulgação/ GEC

Goiás e Aparecidense decidem no próximo domingo, 8, a Final do Goianão | Foto: Divulgação/ GEC

Goiás e Aparecidense decidirão no próximo domingo, 8, a Final do Goianão 2018. E o Folha Z decidiu investigar quais são os motivos para o tão citado favoritismo do Verdão.

Confira, então, 5 motivos para o Goiás levar o título em cima da Aparecidense no fim de semana.

Carlos Eduardo é um dos jogadores mais valorizados do elenco do Verdão | Foto: Divulgação/ GEC

Carlos Eduardo é um dos jogadores mais valorizados do elenco do Verdão | Foto: Divulgação/ GEC

1 Elenco

O elenco do Verdão é mesmo maior do que o da Aparecidense, que conta com Nonato e companhia? Os nomes abaixo podem atestar que sim.

Jogadores como Marcelo Rangel (Ex – Londrina), Alex Silva (Ex – Atlético/MG), Eduardo Brock (Ex – Paraná), Léo Sena (Prata da Casa), Giovanni (Ex – Atlético/PR), Carlos Eduardo (Prata da Casa) e Tiago Luís (Ex – Santos) são os destaques do plantel do Goiás.

Marcelo Rangel foi peça importante na campanha do Londrina na Série B 2016. O LEC teve a defesa menos vazada da competição, e brigou por acesso à Série A até o fim do campeonato.

Alex Silva, lateral-direito contratado junto ao Atlético-MG, foi reserva de Marcos Rocha (eleito Craque do Brasileirão de 2012, 2013, 2014 e 2015).

Com a contusão de Marcos Rocha em 2017, Alex Silva assumiu a titularidade em 14 jogos, anotando 3 assistências a gol.

Eduardo Brock participou da campanha do acesso do Paraná Clube para a Série A no ano passado. Com status de Xerifão, o zagueiro atuou em 57 partidas pelo time paranaense, marcando 2 gols.

Léo Sena, apesar de pouca experiência, demonstra muita qualidade no meio-campo esmeraldino. É titular absoluto do time.

Giovanni é o camisa 10. Ótimo passe, dono de bolas paradas. Atuou ano passado pelo Náutico/PE. Apesar do rebaixamento do time pernambucano para a Série C, foi um dos poucos jogadores que se salvaram.

Carlos Eduardo evolui a cada ano que passa. É uma das válvulas de escape pelo lado direito. Mesmo com a pior campanha do esmeraldino em Brasileiros, o jogador se destacou marcando 9 gols ano passado.

Tiago Luís é uma das opções de Hélio dos Anjos no banco de reservas. Formado nas categorias de base do Santos, Tiago possui excelente visão de jogo e qualidade na bola parada.

LEIA MAIS: Goiás tem que perder para mudar o time, diz cantor Zé Felipe

2 Fator campo

No primeiro jogo da final, o placar foi de 0 a 0. O regulamento não prevê a vantagem de jogar por dois resultados iguais. Assim, o fator casa passa ser a maior vantagem de uma equipe.

O Verdão é muito forte jogando dentro do Serra Dourada, e terá o apoio da torcida esmeraldina para levantar o caneco na final do Goianão.

Com mais um fator motivacional, os torcedores que comparecerem ao jogo vão concorrer a um carro e uma moto 0 km, durante o intervalo da decisão.

SAIBA MAIS: Goiás fará sorteio de moto, carro e viagem para quem for ao Serra

De 2003 para cá, o alviverde decidiu 13 vezes o título do Goianão dentro do Serra Dourada. Das 13 decisões, sagrou-se campeão por 8 oportunidades.

Dentre as 5 derrotas, somente a de 2008 foi para uma equipe do interior: perdeu de 3 a 0 para o Itumbiara.

Durante esse período, ausentou-se da final somente no Goianão de 2010, ano em que o Atlético se sagrou campeão sobre o Santa Helena.

Estrutura de treinamento do Goiás está entre as mais completas do Brasil | Foto: Divulgação/ GEC

Estrutura de treinamento do Goiás está entre as mais completas do Brasil | Foto: Divulgação/ GEC

3 Estrutura

O futebol não é apenas dentro das 4 linhas. Muito pelo contrário. O extracampo influencia, e muito, o rendimento das equipes.

Com uma das maiores estruturas do Brasil, o alviverde conta com o Complexo Esportivo e Recreativo Ruarc Douglas e o Centro de Treinamento Edmo Pinheiro.

Dentro do complexo há:

– O Estádio Hailé Pinheiro, com capacidade para 6,5 mil torcedores (gramado Bermuda Celebration – 105 x 65 m);

– Ginásio coberto com capacidade para 3 mil pessoas;

– Completa estrutura para concentração dos atletas;

– Duas quadras de areia iluminadas;

– Pista para cooper com 1 km.

Já no CT Edmo Pinheiro existem:

– 4 campos gramados oficiais;

– Vestiários com armários personalizados, ar condicionado, duchas e banheiras de hidromassagem;

– Sala de Comissão Técnica com computadores, aparelho de TV e DVD, mesa de reunião e vestiário exclusivo;

– Departamento Médico;

– Academia de Ginástica;

– Três campos de futebol Society.

Para efeito comparativo, a Aparecidense ainda trabalha no projeto de construção do seu Centro de Treinamento.

4 Salários

Gastos com folha salarial e “bichos” por vitória ainda compõem o extracampo. O Verdão possui o time mais caro da Série B 2018: são mais de 15 milhões de euros.

Com essa receita, a premiação por uma vitória ou título, o popular “bicho”, consequentemente é elevada.

O time de Aparecida de Goiânia conta com investimento público da prefeitura, além de outros patrocínios. A folha salarial do time é de R$ 350 mil.

Até 2020, o Azulão terá recebido R$ 5,2 milhões. Esse repasse, porém, é dividido em 24 parcelas, contados desde fevereiro deste ano.

Esse ano, portanto, o Camaleão recebeu até abril o valor de R$ 655 mil. Um valor bem abaixo da receita esmeraldina, portanto.

5 Obrigação

Em entrevista após o jogo contra a Rubra, pela semifinal, o técnico Hélio dos Anjos colocou uma pitada de polêmica. Veja no vídeo abaixo, a partir de 5 min e 15 s.

Ele parabenizou a Anapolina, porém afirmou que o Goiás tinha a obrigação de estar na final do Goianão.

Já após a primeira partida da final, Hélio novamente polemizou. O treinador ressaltou a péssima qualidade do gramado. Disse ainda que venceria o duelo, caso a grama não estivesse encharcada.

Decisão

Goiás e Aparecidense decidem, então, o título de Campeão Goiano de 2018 no domingo.

A equipe alviverde tenta seu tetracampeonato da competição (o que seria o segundo da história); enquanto a equipe de Aparecida de Goiânia tenta seu título inédito.

Em 2015, as equipes decidiram o título, saindo o Verde como campeão. Por sua vez, o Camaleão atingiu, nessa edição, sua melhor campanha no estadual.

Resta a todos os amantes do futebol goiano acompanhar a grande final do Goianão direto do Serra Dourada.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter