Hamburgo, a capital verde da Europa

Localizada as margens do Rio Elba, Hamburgo é a segunda maior cidade da Alemanha

Se você pudesse mudar alguma coisa na cidade em que vive, o que seria? Já imaginou morar em um lugar em que o transporte público é eficiente e pontual? Uma cidade extremamente segura, limpa e organizada, repleta de parques e ciclovias onde as pessoas muitas vezes deixam os carros em casa para dar umas boas pedaladas até o trabalho? Parece uma cidade dos sonhos, mas lugares assim existem na vida real e um deles fica bem aqui no norte da Alemanha. Bem-vindos à Hamburgo!

Localizada as margens do Rio Elba, Hamburgo é a segunda maior cidade da Alemanha e a oitava da União Europeia, possui um dos maiores portos do mundo e recebe cada vez mais imigrantes de todas as nacionalidades que chegam à cidade em busca de boas oportunidades de trabalho ou simplesmente atraídos pela qualidade de vida do lugar.  Ver pessoas usando celulares, laptops ou tablets de última geração dentro dos ônibus, no metrô ou sentados as margem do Alster, o maior lago da cidade, é uma imagem bastante comum, seja durante o dia ou durante a noite. Por aqui você pode circular com tranquilidade sem medo de ser assaltado na próxima esquina, furtos até acontecem, mas são exceções à regra, na maioria do tempo a ordem impera na cidade.

Palavra da moda

Outra palavra de ordem pelas bandas de cá, chama-se sustentabilidade. Hoje em dia, sustentabilidade virou uma palavra da moda, no entanto, são poucos os grandes centros urbanos que conseguem de fato colocar em práticas ações que impactem diretamente o meio ambiente e contribuam para a qualidade de vida dos seus cidadãos. Aliás, vale a pena ressaltar que para um lugar ser considerado sustentável os seus moradores precisam ser extremamente engajados na tarefa de preservação tanto de suas áreas verdes como de seu patrimônio urbanístico. O poder público tem um papel fundamental na administração responsável de um município e a obrigação de estabelecer como prioridade a busca pelo bem estar coletivo, mas de nada adianta o esforço público se a população não usufruir com responsabilidade dos investimentos realizados na cidade.

Nesse ponto, os hamburgueses são um exemplo de cidadania e responsabilidade socioambiental. Ônibus não tem catraca, você compra o bilhete antes de embarcar ou direto com o motorista. As pessoas vão ao mercado com suas ecobags, se você quiser sacolinhas plásticas é preciso pagar por cada uma delas! Nas casas, os moradores separam o lixo sistematicamente em lixo orgânico, papel, garrafas e plástico. Ser sustentável por aqui, também tem suas vantagens econômicas, as garrafas de plástico vazias, por exemplo, podem ser depositadas em coletores localizados nos supermercados que automaticamente geram um cupom de desconto que pode ser utilizado na compra de qualquer novo produto no estabelecimento.  Não foi à toa que em 2011, Hamburgo foi eleita a Capital Verde da Europa. É um bom exemplo de como a população e o poder público podem atuar em sintonia para a construção de um lugar agradável para se viver.

Muita gente pode estar se questionando: “Ah mais não dá pra comparar uma cidade com mais de 800 anos com uma cidade tão jovem quanto Goiânia, de apenas 80 e poucos anos!” Teoricamente, não poderíamos comparar mesmo. No entanto, vale considerar que durante a Segunda Guerra Mundial, Hamburgo sofreu uma série de bombardeios que mataram 42 mil civis e devastaram a cidade.  A Hamburgo de 1945 virou cinzas, não restou praticamente nada! Hoje, 67 anos após a guerra pouquíssima coisa nos faz lembrar os anos de terror vividos por aqui, a cidade deu a volta por cima e se tornou um exemplo de cidade modelo. Sendo assim, fica a lição de que é possível sim transformar uma cidade em um lugar sustentável em poucos anos, o que conta mesmo é a visão de seus governantes e o poder de mobilização de sua população.

Curiosidades

Em inglês, quem nasce em Hamburgo é chamado de Hamburguer. Aliás, ao contrário do que muita gente imagina o famoso hamburger americano popularmente conhecido como “burger” nasceu exatamente em Hamburgo. A iguaria chegou aos Estados Unidos pelas mãos de imigrantes alemães, vindos dos arredores de Hamburgo.

Os famosos Beatles iniciaram a sua carreira tocando não só nos pubs da cidade inglesa de Liverpool, os músicos passaram uma temporada considerável em Hamburgo e foi aqui que a banda conheceu o sucesso. Anos mais tarde, o próprio John Lennon ao falar sobre a trajetória da banda afirmou: “Nasci em Liverpool, mas cresci em Hamburgo”. Aos Beatlemaníacos de carteirinha vale uma visita ao Museu dos Beatles que fica localizado no bairro efervescente de Reeperbahn.

Ir ao cinema aqui pode ser um grande desafio se você não domina o alemão, já que todos os filmes são dublados em alemão! Com raríssimas exceções você consegue assistir a um filme na língua original com legenda. Para os estrangeiros que vivem na cidade, a dica é ir ao Streits que exibe filmes em inglês.

O velho ditado “o cão é o melhor amigo do homem” é levado ao pé da letra em Hamburgo já que é permitida a presença dos cachorros dentro dos ônibus, trens, restaurantes e até mesmo dentro dos shopping centers.

Daniella Barbosa / Especial pro Folha Z