Bispo e padres que desviaram dinheiro de dízimo são presos em Goiás

Milhões foram desviados de dízimos, doações, festas, batismos e casamentos, aponta o MP-GO

Por desvios de igreja, bispo de padres são presos em Goiás | Foto: Divulgação/ MP-GO

Por desvios de igreja, bispo de padres são presos em Goiás | Foto: Divulgação/ MP-GO

Uma operação do Ministério Público de Goiás (MP-GO) prendeu membros da Igreja Católica na manhã desta segunda-feira, 19, suspeitos de desviarem mais de R$ 2 milhões de fundos de entidades religiosas.

A investigação do MP-GO apontou que verba arrecada com dízimos, doações, festas, batismos e casamentos foi apropriada indevidamente pelo bispo de Formosa, Dom José Ronaldo, quatro padres, um vigário-geral, um monsenhor e dois funcionários administrativos da igreja.

Foram fiéis que denunciaram as irregularidades que teriam sido iniciadas ainda em 2015. Após autorização judicial para escutas telefônicas, ficou constatado que os suspeitos usaram o dinheiro desviado para comprar uma fazenda e uma casa lotérica.

Nove mandados de prisão e dez de busca e apreensão serão colocados em prática pela operação “Caifás” em Posse, Formosa e Planaltina, as duas últimas no Entorno do Distrito Federal.

LEIA MAIS: Mulher é presa em flagrante após compartilhar local de blitz no WhatsApp

Foram apreendidas caminhonetes e dinheiro em espécie após ação de promotores e policiais civis e militares em igrejas, um mosteiro e domicílios particulares.

Bispo

Ao surgirem as primeiras denúncias, o bispo Dom José Ronaldo afirmou que não havia irregularidades na diocese. Segundo ele, os R$ 16 milhões arrecadados por ano são usados para custear as 33 paróquias, para manter o fundo das igrejas e “casa do clero, seminário, estrutura da cúria, funcionários etc”.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter