Como comprar Bitcoin: ainda vale apena investir na moeda?

Criptomoeda, blockchain, descentralização e mineração são termos que você precisa conhecer AGORA

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Pixabay

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Pixabay

O Bitcoin tornou-se parte da economia cotidiana, e após quase dez anos no mercado, é uma criptomoeda que continua a atrair milhões de pessoas em todo o mundo, e empresas de todos os tipos.

Devido a isso, é necessário falar com mais detalhe do que muitos chamam a moeda do futuro.

O que é o Bitcoin?

Bitcoin é uma moeda digital encriptada para garantir a sua seguridade (criptomoeda), que foi criada e anunciada em finais de 2008 por Satoshi Nakamoto (que aliás é um dos seus desenvolvedores) sob a ideia de revolucionar o comércio electrônico.

Desde o momento do seu lançamento ao mercado em janeiro de 2009, Bitcoin começou ser utilizado como método de pagamento direto por bens e serviços, tendo a diferença com o real ou o dólar, no fato do que não existe fisicamente e não possui um Banco Central que a regulamenta.

LEIA MAIS: Franquias crescem na crise. Para economista, elas têm mais chance de acerto

Essa falta de um órgão regulatório gerou certa desconfiança entre os seus primeiros usuários, e provocou que o Bitcoin tivesse seu mercado somente dentro de alguns círculos de curiosos informáticos, para ter uma explosão na sua popularidade mais recentemente, devido ao exponencial incremento no seu preço.

Além do Bitcoin ser descentralizado, seu foco é a privacidade, já que pessoas ou entidades podem fazer suas transações em total anonimato e de forma segura, devido a sua tecnologia chamada Blockchain.

Para que o Bitcoin pode ser usado?

Por causa dos seus múltiplos benefícios, Bitcoin continua a ganhar adeptos em todo tipo de mercados e empresas que vão desde os pequenos negócios locais, até os grandes negócios globais, dando acesso aos usuários de Bitcoin para entretenimento, viagens, e eletrônicos.

Além do mais o Bitcoin dá oportunidade a novos empreendedores para adotar esta tecnologia dentro dos seus negócios.

Dentro dos negócios locais, simplesmente no Brasil já existem mais de 12 mil lugares que aceitam Bitcoin e outras criptomoedas como método de pagamento, incluindo bares, restaurantes, cafés e lojas de roupas.

No campo do entretenimento, já existem também plataformas como Bitcasino.io, que oferecem jogos como blackjack, baccarat ou slots, e todas as suas operações são feitas com Bitcoins.

Na área das viagens, Expedia começou a aceitar Bitcoins desde junho de 2014 como método de pagamento pelas reservas de hotéis feitas dentro do seu website.

Outro exemplo é a companhia do empresário bilionário Richard Branson, Virgin Galactic, que começou aceitar pagamentos pelas suas viagens espaciais comerciais desde 2013.

Dentro da área dos eletrônicos, o exemplo mais conhecido é do site Overstock.com, que aceita Bitcoin pelos produtos que oferece, que vão desde artículos decorativos como lâmpadas e cadeias, até computadores, consoles de videogames e artigos de beleza.

Para os empreendedores e comerciantes, existem também plataformas como Shopify ou Bitshopp, que permitem aos seus usuários abrirem seus próprios negócios eCommerce, para vender seus produtos ou serviços usando criptomoedas como Bitcoin e moedas fiduciárias como o real ou dólar.

Além de fazer compras e gastar Bitcoins, também já existem empresas que se oferecem para pagar o salário de seus funcionários através da criptomoeda, como no caso da GMO Internet, em Tóquio.

Devido ao livre comércio ser a base fundamental da criação e do uso do Bitcoin, a popularidade do mesmo se expandiu globalmente através dos anos, fazendo crescer o seu mercado, e oferecendo seus benefícios para os compradores e vendedores que o utilizam.

Além da ausência da necessidade de intermediários, Bitcoin e a tecnologia Blockchain oferecem a economia de recursos financeiros como impostos e taxas pelo gerenciamento de operações em cada transação, e garantia de pagamento.

Segundo uma análise publicada em 2017 pela escola de negócios da Universidade de Cambridge, existem aproximadamente mais de 5,8 milhões de usuários únicos que participam ativamente do comércio eletrônico por meio das criptomoedas como Bitcoin.

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Flickr by jurvetson (CC SA 2.0)

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Flickr by jurvetson (CC SA 2.0)

Como funciona a Blockchain?

A tecnologia de Blockchain interconecta a todos os usuários da criptomoeda anonimamente, e cada uma das transações é verificada para que não existam fraudes, e registrada permanentemente em um livro público, chamado Ledger, no qual todos os usuários têm acesso.

Os registros digitais, como a Blockchain, permitem o registro seguro de transações, e o processamento de pontos de dados pela Internet ou por outras redes privadas.

Por serem mais seguros e eficientes no armazenamento e recuperação dos principais dados e conteúdos corporativos, cada vez mais empresas estão migrando para livros digitais e Blockchains, dando a essa tecnologia o potencial para mudar a Internet.

Além disso, as empresas também estão preocupadas com o risco de ter apenas uma única empresa hospedando seus principais dados de negócios.

A natureza descentralizada da Blockchain é preferida por tais empresas para melhor segurança e gerenciamento de risco de seu conteúdo.

Como a tecnologia Blockchain que está por trás do Bitcoin tem revolucionado o conceito de segurança nas transações de pessoa a pessoa, existem também muitas grandes empresas que começaram a desenvolver suas próprias redes Blockchain dentro de múltiplas indústrias.

Exemplos das mesmas incluem a previamente mencionada Overstock, que desenvolveu a sua própria rede Blockchain e sua criptomoeda chamada tZERO; a IBM, que fez parceria com os varejistas da Walmart, de modo a rastrear a cadeia de suprimentos com rapidez, eficiência e segurança, garantir a segurança alimentar ideal e reduzir os custos de desperdícios.

Por sua parte, a desenvolvedora de software Oracle, está oferecendo serviços de Blockchain ao Governo da Nigéria e ao Banco de Chile, para a documentação segura de impostos alfandegários e de importação, além de transações interbancárias.

Como comprar Bitcoin?

Mas como comprar Bitcoin? Devido à grande popularidade e demanda que o Bitcoin atingiu nos últimos anos, seu preço por unidade aumentou exponencialmente, cotando em torno de US$ 10 mil por Bitcoin, mas apesar disso, é possível entrar no mercado sem investimentos muito grandes, como comprar Bitcoin em frações até a oitava casa decimal.

No dia 27 de maio de 2018, um décimo de milésimo — quatro casas decimais ou 0,0001 — de um Bitcoin vale cerca de US$0.73, ou, R$2.68, e a maneira mais simples para obter Bitcoins, é comprando frações em sites de corretoras como eToro, Coinbase, ou Bittrex.

Dentro de plataformas como elas, é possível abrir uma conta e fazer algo simples como comprar Bitcoin com cartão de crédito ou débito, transferência bancária, e outras opções como Neteller, e pagar em dólares, reais, ou qualquer outra moeda fiduciária.

Muitos desses sites oferecem também a possibilidade de funcionar como uma carteira de Bitcoin e outras criptomoedas, mantendo os seus ativos seguros, além de oferecer opções de troca entre criptomoedas e moedas fiduciárias como Bitcoin/reais, Bitcoin/dólares, Bitcoin/Ethereum, Bitcoin/Ripple, etc.

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Flickr by jurvetson (CC SA 2.0)

Como comprar Bitcoin? Como minerar Bitcoin? Qual o futuro do Bitcoin? Se você quer respostas para essas e outras perguntas, leia já essa matéria | Foto: Flickr by jurvetson (CC SA 2.0)

Onde guardar Bitcoins e outras criptomoedas?

Como previamente mencionado, muitos sites de exchange de Bitcoin tem a opção de funcionar como uma carteira online, permitindo aos seus usuários guardar os seus ativos como se fosse um banco, mas eles não são a única opção.

Muitos usuários de Bitcoin preferem guardar parte das suas criptomoedas fora dos exchanges, ou mesmo dentro dos seus computadores ou smartphones, como em carteiras que nunca estão conectadas a internet, como no caso das carteiras de Hardware ou as de papel (Paper Wallets).

No caso das carteiras dos computadores ou dos smartphones, é necessário fazer o download de aplicativos que criptografam os dados referentes às informações das criptomoedas que os seus usuários têm, criando chaves de acesso para o Blockchain e para as mesmas criptomoedas, e no caso de um hacker obter acesso ao aparelho ou este se quebrar, as criptomoedas estarão presas.

No caso das carteiras offline como as de Hardware ou papel, a chave de acesso para o Blockchain é criada uma só vez, e inserida num pendrive, como os comerciais Trezor e Ledger, ou estampada numa folha de papel, mantendo-se assim, fora do alcance de ameaças. O seu proprietário as utiliza somente quando quiser fazer uma compra com as suas criptomoedas.

Como minerar Bitcoin?

A mineração de Bitcoin e outras criptomoedas, consiste no uso do poder computacional para a verificação das transações feitas na Blockchain, com a recompensa de um número de Bitcoins que cada vez torna-se mais reduzido (devido à mesma estrutura de desenvolvimento da moeda), depois de cada bloco de transações ser verificado.

Para conseguir minerar criptomoedas, é necessário fazer investimentos iniciais para a compra de equipamentos de mineração, como mineradores e cartões gráficos para os computadores, além do hardware de suporte adicional como os aparelhos de refrigeração para os sistemas de mineração.

Além disso é necessário ter acesso à eletricidade barata para operar esses aparelhos, e o conhecimento técnico de como cuidar dos mesmos e o software dos materiais de mineração.

Outros métodos para obter Bitcoins

Devido à dificuldade que continua a se incrementar para a mineração de Bitcoin e outras criptomoedas, existem outros métodos para ganhar Bitcoin e outras Altcoins, que dão a oportunidade a mais pessoas com distintos conhecimentos e áreas de trabalho a obter Bitcoins por sua própria iniciativa.

– Trabalhar por criptomoedas: Esta opção é ótima para os desenvolvedores, escritores e desenhadores, porque todos eles podem trocar seus serviços por criptomoedas em diversas plataformas e websites como Jobs4Bitcoins, XBTFreelancer, bitWAGE, ou CoinWorker.

– Aceitar criptomoedas se você for um comerciante: mesmo como os proprietários das grandes empresas acima mencionadas, muitos processadores de pagamento de criptomoedas podem ajudá-lo a adotar esse método de pagamento, obtendo assim o duplo benefício da valorização do preço das criptomoedas e também ganhando criptomoedas diretamente.

– Trading com criptomoedas: Para as pessoas experientes na negociação de ativos e moedas fiduciárias esta é uma grande opção, já que existem múltiplas plataformas como a eToro, IQ Option, Binance, etc., que oferecem esse tipo de negociações.

Bitcoin vs outros métodos de pagamento

Quando PayPal foi lançado em 1999, teve seu foco no giro de pagamentos de comércio eletrônico, facilitando-os e acelerando-os, em um mundo onde os bancos costumavam levar vários dias para processar um pagamento, uma ideia muito similar a do Bitcoin.

Mas depois de quase 20 anos desde o seu lançamento, o PayPal continua a ter outra coisa em comum com o Bitcoin e outros métodos de pagamento: a aceitação é fundamental para qualquer um desses sistemas.

Para qualquer método alternativo de pagamento aos tradicionais sistemas bancários ter sucesso, é necessário que existam usuários que gostem de participar nele, comércios que ofereçam os seus serviços em troca desse sistema de pagamento, e no caso das criptomoedas, sites de exchange que façam o câmbio entre elas com as moedas fiduciárias, como Bitcoin/dólar, por exemplo.

As vantagens que o Bitcoin tem nesse aspecto incluem os fatos de que as taxas ou custos por transação são muito menores desde qualquer ponto de comparação, além de que não existem intermediários nas mesmas.

Em adição disso, o Bitcoin é uma moeda universal, que não requer procedimentos de conversão, que é o ponto onde as transferências bancárias internacionais, transações com PayPal e pagamentos com cartão de crédito perdem a maior quantidade de taxas.

Qual é a previsão para o futuro do Bitcoin?

Desde de que começou 2018 muitos especialistas financeiros têm falado sobre a tendência do Bitcoin para este ano, opinando sobre o valor da criptomoeda com metas acima dos US$60,000, que representa um aumento de 300% em comparação com os níveis atuais do seu valor.

Num caso particular, Kay Van-Petersen, um expert financeiro do Saxo Bank, comentou que o preço do Bitcoin poderia oscilar entre os e US$ 50 mil e US$ 100 mil em 2018. Este mesmo analista é o mesmo que previu corretamente que o Bitcoin chegaria aos US$2,000 em 2017.

O ano passado foi estelar para as criptomoedas e para o Bitcoin, já que este último começou sendo negociado a US$966 nos primeiros dias de 2017, antes de explodir e chegar aos US$20,000 nos finais do mesmo.

Depois de vários anos de posicionamento e uso, o Bitcoin conseguiu conquistar seu lugar no dia-a-dia da economia e do comércio, fazendo possível que seu uso em transações cotidianas, como as previamente mencionadas, que vão desde viagens e entretenimento, até os eletrônicos, a negociação e aos investimentos.

Em adição disso, a segurança que a tecnologia Blockchain oferece aos vendedores e compradores têm colocado a mesma na primeira linha dos negócios em economias de países como o Japão, Suíça ou os Estados Unidos, abrindo as portas para a adoção global das criptomoedas e as suas próprias tecnologias.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter