Estado Islâmico mata três chineses que tentaram desertar

estado islamicoO diário chinês Global Times informou, em editorial publicado na edição de sexta-feira, 6, que o Estado Islâmico matou três cidadãos da etnia uigur, oriundos da região autônoma de Xinjiang, no Noroeste do país, que tentaram desertar do grupo jihadista. A fonte do jornal é um funcionário curdo, da área de segurança no Iraque. Ele informou que os três cidadãos chineses fazem parte dos 120 membros do Estado Islâmico assassinados por tentar abandonar a organização.

O funcionário informou ainda que os chineses eram membros do Movimento do Turquistão Oriental, uma organização considerada terrorista que, segundo a China, busca a independência de Xinjiang. Um deles, segundo a mesma fonte, foi executado em setembro, quando tentou fugir para a Turquia. Os outros dois, de acordo com a fonte, teriam sido executados em dezembro no Iraque, juntamente com 11 membros do Estado Islâmico de seis países, por “traição”.

(Agência Brasil)