Funcionário do Detran é afastado após exigir propina para transferir pontuação

Apesar de prometer pagar a suposta taxa, a condutora foi diretamente à polícia, que prendeu o servidor público em flagrante

Servidor do Detran de Anápolis foi preso em flagrante e aguarda decisão final após afastamento | Foto: Reprodução

Servidor do Detran de Anápolis foi preso em flagrante e aguarda decisão final após afastamento | Foto: Reprodução

Em Anápolis, um servidor do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) foi afastado por corrupção após denúncia do Ministério Público de Goiás. O juiz Ricardo Silveira Dourado determinou afastamento cautelar de Jô Branco Machado

De acordo com a denúncia do promotor de Justiça Publius Lentulus Alves da Rocha, o servidor teria cometido crime de corrupção passiva ao exigir R$ 700 de uma motorista em junho do ano passado para transferir pontos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A multa foi recebida em fevereiro de 2016 por falta de licenciamento do veículo, que era conduzido pela mãe da proprietária. A pontuação, no entanto, foi computada na carteira provisória da filha.

LEIA MAIS: Homem é assassinado com 90 tiros na porta de casa em Goiânia

Cientes do problema, as duas iniciaram a burocracia para transferir a pontuação para a real condutora do carro no momento da aplicação da multa, mas os pontos não foram removidos da CNH provisória da jovem.

Extorsão

Elas se dirigiram até o Detran e lá foram surpreendidas pelo servidor, que pediu o dinheiro em troca da realização do serviço, necessário para que a filha não perdesse sua carteira. Apesar de prometer pagar a suposta taxa, a condutora foi diretamente à polícia, que prendeu o servidor público em flagrante.

Na decisão, o juiz argumentou que “na medida em que o delito foi cometido justamente no exercício da função, há sério risco de que, caso permaneça atuando no referido órgão público, venha a perseverar na conduta delituosa ou propiciar a obstrução de provas, dificultando assim a persecução penal”. Ele deverá ficar afastado do cargo até a definição da sentença ou eventual surgimento de fatos novos. (Com informações do MP-GO.)

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter