Jardim América vive surto de dengue

Setor foi o que mais apresentou casos da doença no início de 2015. Foram 37 registrados em uma só semana. Saúde orienta população a se previnir (Foto: Claudio Fachel/ Palácio Piratinil)

Setor foi o que mais apresentou casos da doença no início de 2015. Foram 37 registrados em uma só semana. Saúde orienta população a se previnir (Foto: Claudio Fachel/ Palácio Piratinil)

Setor foi o que mais apresentou casos da doença no início de 2015. Foram 37 registrados em uma só semana. Saúde orienta população a se previnir

Por Marco Faleiro

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 5.208 casos de dengue em Goiânia somente nas cinco primeiras semanas de 2015. Os números não foram tão alarmantes, já que estão dentro da média de casos para a época nos últimos anos. Mas, olhando especificamente para o Jardim América, a taxa de incidência da doença é preocupante. Segundo agentes de saúde, há cerca de dois casos por quarteirão no setor.

Entretanto, esses números podem estar aquém da realidade. Apesar da obrigatoriedade da notificação de casos de dengue por parte dos hospitais privados, muitos não cumprem a norma. Segundo o artigo 7º da portaria Nº 104, a notificação compulsória é obrigatória a todos os profissionais de saúde no exercício da profissão, bem como aos responsáveis por organizações e estabelecimentos públicos e particulares de saúde e de ensino.

Jornal Folha Z - 62 Fevereiro box dengueDe acordo com relatório divulgado no início de fevereiro pela SMS, os setores Jardim América, Finsocial e Nova Esperança apresentaram os maiores números de casos durante o mês de janeiro. E o Jardim América ocupou a primeira posição na terceira semana, com 37 casos notificados. Lembrando que esses números seriam ainda maiores com o acréscimo da rede particular, caso as determinações do Ministério da Saúde fossem cumpridas à risca.

Prefeitura

A diretora de vigilância em saúde, Flúvia Amorim, ressaltou que a prefeitura de Goiânia realiza constantes ações para o combate à ocorrência de dengue. Entre elas está a fiscalização em canteiros de obra, que são os locais de maior proliferação do mosquito transmissor. Além disso, há também as visitas a escolas e residências e a entrada em casas fechadas, que muitas vezes são foco de água parada.

Esse é o combate aos criadouros do mosquito. Diferente do “fumacê”, que tem a capacidade de apenas eliminar o inseto já em fase adulta. “Se o agente de saúde for até o domicílio e não tiver ninguém em casa, deixamos um comunicado para que o morador entre em contato com a SMS e marque um horário da sua preferência”, disse a diretora. Qualquer morador da capital pode solicitar visitas ou denunciar foco de dengue ligando para o número 0800 646 1520.

Como agir

A orientação da Secretaria de Saúde é que toda pessoa que apresentar sintomas de dengue deve se hidratar e procurar imediatamente a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência. Se estiver com suspeita de dengue, não se auto-medique.