Mercado de Bitcoin não para de crescer, apesar da desconfiança inicial

Sabia que é possível até mesmo contratar um show sertanejo usando a moeda? Entenda mais sobre o seu funcionamento

A volatilidade do bitcoin lhe transforma em uma aposta para investidores de perfil mais agressivo | Foto: Pexels

Volatilidade do bitcoin o transforma em uma aposta para investidores de perfil mais agressivo | Foto: Pexels

Apesar da recente desvalorização em sua cotação, o mercado de Bitcoin, criptomoeda virtual usada como meio de pagamentos na internet, não para de crescer.

Criada em 2008, é uma moeda virtual que, diferentemente do real ou do dólar, não existe fisicamente e não possui um Banco Central que a regulamenta.

Por isso a desconfiança inicial era tão grande.

Mas, apesar dessa desconfiança inicial, o sucesso da moeda comprova que ela veio pra ficar.

Para se ter uma ideia, em dezembro do ano passado, as três maiores casas de câmbio da moeda, responsáveis por 95% das transações em todo o mundo, possuíam juntas 1,4 milhão de pessoas cadastradas – número maior que o de investidores da Bolsa de São Paulo.

LEIA MAIS: 5 dicas para economizar e aproveitar ofertas de supermercado

Conversão para Real

Apesar das incertezas em torno da moeda, a tendência é que ela continue crescendo. No Brasil, já há até caixas eletrônicos para conversão em Real | Foto: Pexels

Apesar das incertezas em torno da moeda, a tendência é que ela continue crescendo. No Brasil, já há até caixas eletrônicos para conversão em Real | Foto: Pexels

Além disso, a instalações de caixas eletrônicos que permitem o saque de Bitcoin convertido na moeda local tem se multiplicado.

No Brasil por exemplo, o primeiro caixa eletrônico foi instalado em 2014, em São Paulo.
Hoje, apenas quatro anos mais tarde, é possível encontrar caixas eletrônicos de Bitcoins em diversas cidades por todos os estados brasileiros.

Além disso, atualmente são milhares de estabelecimentos comerciais espalhados por todo o planeta que também aceitam a moeda.

O cenário no Brasil

No Brasil, apesar de o mercado ainda ser bastante pequeno, ele vem crescendo na maneira que a moeda vem se popularizando.

E já é possível comprar de tudo com ela. Até mesmo contratar um show sertanejo completo usando a moeda virtual.

A dupla João Bosco e Vinícius foi a primeira a anunciar a aceitação da moeda como pagamento.

A cidade de Recife  saiu na frente do resto do país no setor de lojas e serviços com a inauguração neste ano do Paço Alfândega, o primeiro shopping center do Brasil a aceitar Bitcoin em todas as suas lojas.

Desde 2014, o site Expedia, um das maiores portais de viagens do mundo, aceita Bitcoins como meio de pagamento para reservas em hotéis e pacotes de viagens.

Em Salvador, o hostel HospedaSalvador é o primeiro na cidade a aceitar a moeda. Na cidade, ainda é possível comprar cabelo natural na Cheveuxs-Naturals utilizando a moeda eletrônica como forma de pagamento.

Até os gigantes

Dentre as gigantes, a Microsoft saiu na frente e foi a primeira grande empresa de tecnologia a aceitar Bitcoins em sua loja virtual, onde é possível usar Bitcoinx para baixar apps e músicas ou ainda games de XBox.

Quem quiser se divertir fazendo apostas online em cassinos ou jogando blackjack basta acessar o site da Bitcasino.io e terá uma infinidade de apostas e games para se entreter.

Já é possível também praticar solidariedade usando a moeda! Quem quiser fazer uma doação usando a moeda eletrônica, a ONG mundial Save the Children aceita Bitcoins como doação desde 2014.

Bitcoin é tendência

 Mesmo com  instabilidade da moeda, o número de investidores que acreditam nela aumenta a cada dia, bem como a número de estabelecimentos que a aceitam para transações.

O número​ de pessoas comprando a moeda comprovam que ela tem a confiança de milhões de pessoas ao redor do mundo e que seu uso tende a ser irreversível, apontam especialistas.

O desenho animado Os Jetsons  provam novamente que, num futuro não muito distante, carteiras vazias não serão mais sinônimo de falta de dinheiro.

Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagram e Twitter