Condenado por latrocínio de filha de ex-deputado é morto a tiros em Goiânia

Luan Henrique Silva Neto cumpria pena em regime aberto

Corpo da vítima assassinada no Setor Jardim Bela Vista. Ele cumpria pena em regime aberto por latrocínio de filha de deputado | Foto: Divulgação

Corpo da vítima assassinada no Setor Jardim Bela Vista. Ele cumpria pena em regime aberto por latrocínio de filha de deputado | Foto: Divulgação

Um homem foi assassinado a tiros no início da tarde desta terça-feira, 15, no Setor Jardim Bela Vista, em Aparecida de Goiânia.

A vítima, Luan Henrique Silva Neto, havia sido condenada a 24 anos de prisão por participar do latrocínio (roubo seguido de morte) da filha do então deputado Luiz do Carmo (à época no MDB), em 2012.

Ele estava cumprindo pena em regime aberto e portava tornozeleira eletrônica.

LEIA MAIS: Homem é preso em Goiânia após fuga e capotamento no Setor Coimbra

Luan estava em uma oficina mecânica quando os ocupantes de um carro que passou pelou local abriram fogo em sua direção.

Ele foi atingido com vários tiros de fuzil calibre 5,56 mm e pistola calibre 9 mm e morreu no local.

A Polícia Civil ainda investiga as circunstâncias do crime e desconfia que o acerto de contas seja a motivação

Os suspeitos do crime ainda não foram  localizados.

Um dos projéteis utilizado no crime| Foto: Divulgação

Um dos projéteis utilizado no crime| Foto: Divulgação

Avenida T-63

Michelle Muniz do Carmo, filha do  ex-deputado Luiz do Carmo, foi assassinada em 2012 na Avenida T-63, no Setor Nova Suíça, em Goiânia, após reagir a assalto orquestrado por quatro homens em frente a uma distribuidora de bebidas.

Na ação, o promotor de Justiça Fernando Braga Viggino apontou que três dos envolvidos estavam em um carro Celta quando passaram em frente a distribuidora e notaram o carro de Michelle, um Honda Civic LXL.

Cogitaram, então, roubar o veículo, portando uma arma de fogo emprestada.

Após estacionarem o carro próximo ao da vítima, dois dos criminosos desceram do carro, sendo que um foi em direção a Michele e o outro se posicionou no banco do motorista.

Depois de notar a movimentação suspeita, Michele correu em diração ao seu carro e foi baleada momentos depois.

O juiz Enyon Fleury de Lemos, da 5ª Vara Criminal de Goiânia, condenou cinco envolvidos no crime. Um deles, Michel Castro de Jesus, teve pena de 3 anos e 6 meses de reclusão por ter emprestado a arma usada no crime, mas cumpriu pena alternativa.

Johnatan Rosa de Souza, Diogo Souza Pinheiro, Luan Herique Silva Neto e Wesley Veríssimo dos Santos foram alvos de penas que variaram de 23 a 27 anos de prisão em regime fechado.

Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagram e Twitter