Mulher que levou cotovelada deve ficar com danos permanentes

A mulher agredida recebeu alta em setembro, mas ainda apresenta muitas sequelas

A mulher agredida recebeu alta em setembro, mas ainda apresenta muitas sequelas

O irmão da auxiliar de produção Fernanda Regina, 30, atingida por uma cotovelada no rosto no fim de uma festa na cidade de São Roque (SP), afirma que ela ainda está atordoada e tem muitos problemas com a fala.

O crime aconteceu em agosto deste ano e, segundo testemunhas, teria sido motivado por ciúmes. Na noite do dia 16, na saída de uma casa noturna, o comerciante Anderson Lúcio, 35, acertou uma cotovelada que deixou a mulher inconsciente. Ele está preso e foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado, porque a vítima não teve chance de defesa.