Refrigerante zero também pode causar diabete, aponta estudo

Versões adoçadas artificialmente, conhecidas como zero ou diet, apresentaram resultados semelhantes às convencionais

Refrigerante zero e o comum oferecem riscos à saúde | Foto: Reprodução

Refrigerante zero e o comum oferecem riscos à saúde | Foto: Reprodução

Estudo publicado pela European Society of Endocrinology apontou que quem consome produtos diet, como refrigerante zero, não está ileso de desenvolver diabete. Os resultados foram obtidos após a análise dos hábitos alimentares de mais de 2.800 pessoas.

O estudo mostra também que consumir menos de meio litro de bebidas açucaradas por dia já é o suficiente para dobrar o risco de desenvolver diabete

A pesquisa revelou que a ingestão diária de 400 mililitros (ml) de produtos como refrigerantes ou néctares (refresco que não é composto exclusivamente por suco integral) aumenta em duas vezes o risco de diabete.

LEIA MAIS: Apreensão de veículo com IPVA atrasado é ilegal, explica advogado

As versões adoçadas artificialmente, conhecidas como zero ou diet, apresentaram resultados semelhantes às convencionais. Segundo o estudo, tal relação pode ser explicada, entre outros fatores, por um efeito estimulante ao apetite provocado por elas. Ou seja, a pessoa compensaria a ingestão de uma bebida zero com refeições fartas na sequência.

Diabetes

Além da diabetes tipo 2, a pesquisa analisou também uma variedade mais rara da doença, a LADA – que é autoimune, assim como a tipo 1, e geralmente ocorre em adultos. Em ambos os casos, constatou-se o risco em dobro como consequência do consumo de duas doses diárias, cada uma de 200 ml.

Também foi analisado o consumo de mais de um litro das bebidas por dia; e, nesse caso, o risco de desenvolver a diabetes tipo 2 chegou a ser dez vezes maior do que entre os que não consomem nenhuma quantidade. Por conta da baixa frequência com que esse hábito foi relatado, o estudo destaca que esse resultado é menos expressivo.

A relação da diabetes tipo 2 com as bebidas açucaradas já tem sido evidenciada em pesquisas anteriores. Os riscos em relação à LADA, por outro lado, não são tão evidentes e foram o principal foco do estudo.

Segundo os pesquisadores, ainda são necessárias novas pesquisas para investigar a relação das bebidas com a LADA e, também, para esclarecer os efeitos das bebidas adoçadas artificialmente.

Nutricionista e pós-graduanda Daniella Britto | Foto: Arquivo pessoal

Nutricionista e pós-graduanda Daniella Britto | Foto: Arquivo pessoal

Vida saudável

A nutricionista e pós-graduanda Daniella Britto esclareceu ao Folha Z que os alimentos diets são diferentes dos demais em termos de açúcar. Ela explicou que esses alimentos têm mais sódio e gordura, o que compensaria o menor volume de açúcar, como é o caso do refrigerante zero.

“O paciente ingere alimentos açucarados, o que gera uma certa resistência da produção de insulina no pâncreas, o que pode ocasionar a diabetes”, disse.

Ela destacou também que as pessoas devem evitar alimentos que contêm teor elevado de açúcar, sódio e gordura. “Elas devem sempre optar por alimentos saudáveis, consumindo fontes ricas em nutrientes que fazem bem à saúde”, pontuou.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter