Um enorme setor não poderia ter moradores pequenos

Grandão ao lado do repórter do Folha Z, Marco Faleiro

Grandão ao lado do repórter do Folha Z, Marco Faleiro

O maior homem do Jardim América tem orgulho de morar há 43 anos na região

Por Marco Faleiro

Anildo Tomaz tem 53 anos e uma gentileza e sabedoria profundas. Mas não é a idade e nem mesmo a personalidade que dão a ele o sugestivo apelido de “Grandão”. Do alto de 2,05 metros, Grandão conta que chegou ao Jardim América no início da década de 70.

De lá para cá, Anildo viu o setor se desenvolver. Lembrando das ruas ainda de terra no bairro, disse que os moradores da região eram mais humildes. “O ritmo intenso de metrópole foi se instalando no Jardim América, os prédios comerciais, as casas modernas e sofisticadas; o setor mudou muito, mas ainda guarda as origens e o povo simples que morava aqui no passado”, destacou.

Nenhum dos números de Grandão são inexpressivos. São 43 anos no Jardim América, 31 deles trabalhando em bancas de revistas e, acima de tudo, 48 é o número do sapato que calça este grande homem.