Babão, Patati e Biscoito: ex-executivo da Odebrecht confirma apelidos de políticos goianos

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lavado, no Supremo Tribunal Federal (STF) liberou para a imprensa, na tarde desta quarta-feira, 13, HDs incluindo trechos dos vídeos das delações de ex-executivos da empreiteira Odebrecht.

Em um dos vídeos da delação, o ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa Silva Júnior afirma ter feitos repasses financeiros a três goianos. São eles: prefeito de Goiânia Iris Rezende, governador Marconi Perillo, e ao ex-deputado e homem de confiança do presidente do Michel Temer, Sandro Mabel. No vídeo, ele ainda confirmou o apelido de cada um na planilha de pagamento de propina da empreiteira.

Odebrecht | Marconi é chamado de "PATATI ou PADEIRO", Iris de "BABÃO" | Foto: divulgação

Marconi é chamado de “PATATI ou PADEIRO”, Iris de “BABÃO” | Foto: divulgação

O prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) teria recebido R$ 300 mil, não declarados à Justiça Eleitoral para a campanha ao governo de 2010. É o que afirma o ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa. (“BABÃO” era o apelido de Iris na planilha).  Sobre a afirmação, Rezende disse que todos os recursos das suas campanhas eleitorais foram apresentados ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e devidamente aprovados.

Segundo Benedicto, na campanha de 2010, o governador de Goiás Marconi Perillo (batizado na planilha de “PATATI e PADEIRO”) recebeu R$ 200 mil de caixa dois. Na de 2014, teria recebido R$ 2,5 milhões. A empresa visava receber “favorecimento do Grupo Odebrecht na área de saneamento básico”.

Resposta do governador Marconi 

Por meio de assessoria, o governador afirma que não é não é possível comentar o assunto sem “devida contextualização”, pois não há inquérito autorizado pelo Poder Judiciário em tramitação no STJ. Diz ainda que nunca pediu ou autorizou que solicitassem em nome qualquer contribuição de campanha que não fosse oficial ou rigorosamente nos conformes com a legislação eleitoral.

Odebrecht | Ex-deputado Sandro Mabel. Apelido: "BISCOITO"

Ex-deputado Sandro Mabel. Apelido: “BISCOITO”

Benedicto deixou claro que, em 2010, executou pagamentos não contabilizados pela Justiça Eleitoral para a campanha do então deputado federal Santo Mabel (batizado de “BISCOITO”) no valor de R$ 140 mil. Na manhã desta sexta-feira, 14, o Folha Z tentou por diversas vezes contato com o ex-deputado Sandro mabel. Não houve resposta.

Demais políticos citados

O ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Maguito Vilela, o filho dele, deputado federal Daniel Vilela (“apelidados de PADRE”), o ex-prefeito de Trindade Ricardo Fortunato, ambos do PMDB, e o ex-senador Demóstenes Torres (sem partido) também foram citados em delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht. Todos são alvos de abertura de inquérito encaminhados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter