Centros de reabilitação de dependentes não saem das promessas de campanha do governador

Fachada do Credeq de Aparecida de Goiânia: dois seguranças para evitar depredações e invasão do local (Foto: Rodrigo Czepak)

Fachada do Credeq de Aparecida de Goiânia: dois seguranças para evitar depredações e invasão do local (Foto: Rodrigo Czepak)

O Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) de Aparecida de Goiânia, que poderia ser um trunfo para o governador Marconi Perillo (PSDB), pode acabar se tornando um grande problema para os tucanos.

O Credeq de Aparecida é um sonho antigo dos moradores da cidade, que reclamam da demora para que a obra seja entregue. O fato foi destacado pela coluna Jogo Limpo, do Portal Folha Z, na última quinta-feira (19).

Nela, o jornalista Rodrigo Czepak ressaltou que a entrega dos Credeqs foi promessa da campanha eleitoral de 2010 e que até agora nada saiu do papel. Confira trechos da coluna:

Marconi coloca Credeq para funcionar

Governo velho e cansado tem por hábito produzir fato contra si próprio, geralmente de forma espontânea. O título desta nota é o mesmo de um vídeo produzido pela assessoria do governador em 17/06/2014, portanto seis meses antes da reeleição, informando de maneira categórica que “Marconi Perillo colocava para funcionar o primeiro Credeq do Estado”. Para quem não sabe, Credeq é abreviatura de Centro de Referência e Excelência em Dependência Química.

Novela completa 6 anos

A promessa foi assumida por Marconi ainda na campanha eleitoral de 2010 e até o momento nenhuma das 10 unidades previstas virou realidade. Recentemente destaquei neste espaço que o Credeq de Aparecida de Goiânia, o único até agora em condições de funcionamento, recebeu apelido de “safadão” por estar 99% pronto, perfeito, mas aquele “1% vagabundo” impede o início das atividades há quase dois anos. Sempre competente e dedicada, inclusive aos finais de semana, a assessoria de comunicação do Governo de Goiás continua sem resposta quando o assunto é a novela chamada Credeq.

LEIA MAIS: Credeq ganha apelido de “safadão” – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak