Para deputado, Goiás não precisa de intervenção federal na Segurança

"Me fale, por exemplo, se vemos notícia de alguém morrendo por bala perdida aqui”, questionou o parlamentar

Deputado estadual Manoel de Oliveira (PSDB) argumentou contra uma possível intervenção federal em Goiás | Foto: Agência Assembleia de Notícias

Deputado estadual Manoel de Oliveira (PSDB) argumentou contra uma possível intervenção federal em Goiás | Foto: Agência Assembleia de Notícias

O deputado estadual Manoel de Oliveira (PSDB) criticou em discurso na Assembleia Legislativa (Alego) a proposta de que haja uma intervenção federal na Segurança Pública do Estado de Goiás, como foi feito no Estado do Rio de Janeiro.

A crítica foi feita nesta terça-feira, 20, mesmo dia em que o requerimento no sentido da intervenção foi entregue pelo deputado oposicionista José Nelto (MDB).

Para Mané, que teve o filho assassinado em 2012, argumentou que a situação das duas localidades é incomparável.

“O Rio de Janeiro tem mais de 40 favelas e, por culpa do crime organizado, vive diariamente uma guerra civil, como não ocorreria em Goiás. Me fale, por exemplo, se vemos notícia de alguém morrendo por bala perdida aqui”, questionou o parlamentar.

LEIA MAIS: Violência é falta de educação (OPINIÃO)

Durante a apresentação de matérias, José Nelto apresentou requerimento solicitando a intervenção das Forças Armadas na área de Segurança Pública em Goiás para conter a violência no Estado.

Ao contrário de José Nelto, Mané de Oliveira não responsabiliza o Governo Estadual pelos problemas decorrentes da violência.

“A culpa é do Governo Federal, que não consegue proteger as fronteiras do país e permite a entrada de drogas e armas nos Estados. Ao invés de intervir nos Estados, os soldados das Forças Armadas tinham que ser levados para as fronteiras”, declarou.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter