Mensalinho do PSDB: Cachoeira alugou deputado goiano, diz procuradoria

0
3
Mensalinho é como tem se referido a Procuradoria ao caso, já que Cachoeira teria pago a Leréia uma espécie de pequeno mensalão | Foto: Agência Brasil
Mensalinho é como tem se referido a Procuradoria ao caso, já que Cachoeira teria pago a Leréia uma espécie de pequeno mensalão | Foto: Agência Brasil

O Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal em Goiás denunciou à Justiça o bicheiro  Carlos Augusto “Cachoeira”, além do ex-deputado federal Carlos Alberto Leréia da Silva (PSDB/GO-2003/2015).

De acordo com informações do site da Procuradoria da República em Goiás, a Cachoeira é imputada a corrupção ativa e a Leréia, corrupção passiva, “praticados de forma reiterada”.

A descoberta é um desdobramento da Operação Monte Carlo, iniciada no fim de fevereiro de 2012, e retornou à primeira instância depois que Leréia perdeu o foro privilegiado com o fim do seu mandato como deputado.

LEIA MAIS: Anel de R$ 800 mil e contratos em Goiás: a delação de Cavendish

Na denúncia, Cachoeira pagou mensalmente ao longo do ano de 2011 valores entre R$ 20 mil e R$ 25 mil ao então deputado tucano. O dinheiro servia como propina para que Leréia “usasse seu mandato para atender aos interesses da organização criminosa comandada por Cachoeira ou praticar outros atos ilícitos de seu interesse’, diz a acusação do MP.

Mensalinho

Cachoeira chegou até mesmo a emprestar seu próprio cartão de crédito “para que Leréia pudesse gastar dinheiro, inclusive com o fornecimento de senha e código de segurança”.

Com todas essas descobertas, “mensalinho” é como tem se referido a Procuradoria ao caso, já que Cachoeira teria pago a Leréia uma espécie de pequeno mensalão. Bem pago, o parlamentar usou sua influência política para beneficiar o contraventor.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter