Não importa onde esteja a plateia. O discurso do governador Marconi sempre será pelo apoio irrestrito ao presidente de plantão

Governador Marconi esteve hoje na sede do Sebrae Goiás. Ele afirmou que o governo desenvolve ações importantes com o Sebrae que alavancam a economia goiana / Foto: Marco Monteiro
Governador Marconi esteve hoje na sede do Sebrae Goiás. Ele afirmou que o governo desenvolve ações importantes com a entidade que alavancam a economia goiana / Foto: Marco Monteiro

Não importa onde esteja a plateia: Universidade de Harvard, sede do Sebrae ou praça da Cirrose. Para o colunista político do FZ, Rodrigo Czepak, o discurso do governador Marconi Perillo (PSDB) sempre será pelo apoio irrestrito ao presidente de plantão.

“Ontem a favor de Dilma Rousseff (PT), hoje em sintonia com Michel Temer (PMDB), o protagonista da perspectiva de poder. Com argumentação voltada para o resgate do país, Marconi esconde a real intenção de continuar viabilizando seu governo com recursos federais para conclusão de obras e manutenção de programas. Trata-se de mais um tucano que só enxerga no horizonte os seus próprios interesses”, afirmou Czepak em sua postagem de hoje. Veja > Cada tucano com seu interesse 

Cúpula de intrigas

Rodrigo destacou ainda que os legítimos representantes da cúpula nacional do PSDB também agem da mesma forma. “De um lado os senadores José Serra e Aloysio Nunes defendendo a ocupação de cargos pelo partido no eventual Governo Temer. E do outro lado Aécio Neves, presidente nacional da legenda, e o governador Geraldo Alckmin pregando o simples apoio programático a Temer, sem indicação de nomes a ministérios. Ninguém quer dar espaço e oportunidade de crescimento eleitoral ao inimigo íntimo de 2018. E que se danem as reais necessidades do povo brasileiro com uma economia em frangalhos e retrocesso em várias áreas”.

Apoio ao vice-presidente Michel Temer ainda não é unanimidade dentro do PSDB (Foto: Reprodução)
Apoio ao vice-presidente Michel Temer ainda não é unanimidade dentro do PSDB (Foto: Reprodução)

Apuro dos grandes

O colunista finaliza a nota afirmando: “Essa é a verdadeira face do PSDB: um partido que nasceu da costela do PMDB e que diz abominar fisiologismo, mas não resiste aos encantos do poder. Por essas e outras que mais de 80% dos cidadãos entrevistados por institutos de pesquisas apontam que ‘todos os partidos são farinha do mesmo saco’. Ideologia, coerência e bandeira de luta representam palavras ao vento quando o que está em jogo são milhares de cargos e bilhões do orçamento. PMDB, PSDB e PT comandam o Palácio do Planalto desde a redemocratização do país e por isso têm mais culpa no cartório”.