PDT vai expulsar deputada goiana que votou pelo impeachment

Nesta segunda-feira (18), o PDT iniciou processo para expulsar a deputada federal Flávia Morais e outros cinco parlamentares que votaram contra o partido -e a favor do impeachment- na histórica sessão na Câmara dos Deputados.

A orientação do Diretório Nacional do partido para os seus membros foi o apoio à manutenção da presidente Dilma Rousseff (PT). Para punir os deputados que cometeram infidelidade ao vivo em rede nacional, a cúpula do PDT se reuniu em Brasília e decidiu pela expulsão dos dissidentes.

LEIA MAIS: Câmara aprova abertura de impeachment de Dilma; processo segue para o Senado

Flávia

A goiana Flávia Morais lamentou a posição do partido em seu perfil no Facebook (veja o post acima). “A meu partido, o PDT, que repense e não rasgue as nossas três letras, que tanto nos orgulham”, disse.

Ela ainda afirmou que a sigla não pode prejudicar nomes que pretende concorrer a prefeituras em 2016. E esse é justamente seu caso, já que se posiciona como pré-candidata à Prefeitura de Trindade.

E a expulsão pode não ser o único dos problemas para a deputada. O comando estadual do PDT pode também ser retirado do seu marido, o ex-prefeito de Trindade George Morais.

Outros cinco

Outros que votaram contra o partido foram Giovanni Cherini (RS), Hissa Abrahão (AM), Mario Heringer (MG), Sérgio Vidigal (ES) e Subtenente Gonzaga (MG).