Prefeitura quer dobrar número de radares em Goiânia. Vereador questiona licitação

Radares em Goiânia

Radares em Goiânia serão dobrados (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Durante sessão desta quinta-feira (5) na Câmara Municipal de Goiânia, o vereador Elias Vaz (PSB) apresentou requerimento pedindo a suspensão do processo de licitação de equipamentos de fiscalização de velocidade na capital.  Segundo o vereador, existem irregularidades no edital e elas devem ser corrigidas até dia 20 de maio.

Na licitação em que a empresa faz proposta de instalação, operação e manutenção de radares eletrônicos em Goiânia, os valores mensais referentes a cada ponto de fiscalização, se somados, resultam em montante de R$ 5 milhões por mês, muito maior do que o apresentado inicialmente, de R$ 1,37 milhão mensal.

LEIA MAIS: Suzane von Richthofen ganha saída da prisão em Dia das Mães

“É no mínimo estranho uma discrepância tão grande. A prefeitura precisa ter transparência nesse processo, o cidadão tem o direito de saber qual será o gasto real do Município e a certeza de que não há a intenção de beneficiar nenhuma empresa. Por isso, queremos a suspensão do processo até que seja elaborado um edital que atenda todas as exigências técnicas”, disse Elias Vaz.

Além disso, o vereador questionou a o texto que não especifica que os equipamentos devam ser novos. “Isso pode significar que a prefeitura vai aceitar fotossensores usados, o que representa uma vantagem para a empresa que já opera radares em Goiânia há 14 anos”.

Licitação

A intenção da prefeitura é passar de 568 pontos de fiscalização de velocidade para 1360, mais do que o dobro. Somando-se aos radares, serão instaladas 200 câmeras para monitoramento infrações como uso de celular e não uso do cinto de segurança.