Privatização da Celg não aumentará tarifa, diz governador

“Tenho certeza que Goiás vai ganhar muito com a venda da Celg e que o consumidor vai ganhar muito também", afirmou Marconi Perillo (PSDB)

Governador falou sobre a privatização da Celg | Foto: Reprodução

Governador falou sobre a privatização da companhia de distribuição de energia elétrica de Goiás (Celg) | Foto: Reprodução

Em entrevista na manhã desta segunda-feira, 21, o governador Marconi Perillo (PSDB) afirmou que a privatização da companhia de distribuição de energia elétrica de Goiás (Celg) não resultará em aumento na tarifa paga pelo consumidor.

Segundo o governador, é a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quem define o valor da tarifa para todas as empresas que distribuem energia no Brasil, sejam elas públicas ou privadas.

“Tenho certeza que Goiás vai ganhar muito com a venda da Celg e que o consumidor vai ganhar muito também, porque não haverá qualquer mudança na tarifa de energia. Pelo contrário, teremos este ano 10% a menos na tarifa de energia a partir de decisão da Aneel. Quem regula o preço é a Aneel e isso vale para empresas públicas e privadas”, afirmou o tucano.

Leilão

Está marcado para o próximo dia 30 de novembro o leilão da Celg. “Temos percebido o interesse de empresas e grupos importantes, então estamos com a expectativa positiva”, comentou o governador.

LEIA MAIS: Entenda por que 200 motociclistas entraram na contramão no Setor Bueno

Na análise de Perillo, a privatização da companhia resultará em investimentos na infraestrutura e até mesmo melhora no serviço prestado. “Pelas regras do edital, o vencedor do leilão terá que investir nos próximos dois anos 2 bilhões de reais na Celg, construindo mais subestações rebaixadoras, mais linhas de distribuição, resultando em eficiência e melhorias na distribuição e fornecimento de energia para as indústrias, comércio e, principalmente, para as residências”, disse.

O valor mínimo para aquisição da Celg é de R$ 1,792 bilhão, recursos que, de acordo com o governador, serão investidos em Saúde, Educação, Infraestrutura e Saneamento.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter