Radar móvel em rodovias goianas pode ser proibido pela Assembleia

Em suas justificativas, deputado explica que a iniciativa visa acabar com o que ele denomina "indústria das multas" promovida pelo Governo de Goiás

Projeto em tramitação na Alego proíbe a utilização de radar móvel, estático ou portátil nas rodovias estaduais | Foto: Cesar Ogata/Secom

Projeto em tramitação na Alego proíbe a utilização de radar móvel, estático ou portátil nas rodovias estaduais | Foto: Cesar Ogata/Secom

De autoria do deputado José Nelto (PMDB), tramita na Casa o projeto de nº 2061/17, que proíbe a utilização de radar móvel, estático ou portátil nas rodovias estaduais. De acordo com a propositura, a medição das velocidades desenvolvidas pelos veículos nas rodovias estaduais seria efetuada somente por meio de instrumento ou equipamento fixo.

Deputado estadual José Nelto (PMDB) | Foto: Reprodução

Deputado estadual José Nelto (PMDB) é autor do projeto que tramita na Casa | Foto: Reprodução

Em suas justificativas, José Nelto explica que a iniciativa visa acabar com o que ele denomina “indústria das multas” promovida pelo Governo de Goiás. “O fato é que a atual administração tem utilizado os radar móvel no Estado apenas com intuito arrecadatório, ou seja, visando somente a obtenção de recursos por meio da aplicação de multas nos motoristas que trafegam por nossas rodovias.”

O deputado afirma ainda que essa prática é contrária às normas previstas no Código de Trânsito Brasileiro; “O que se deve buscar, primeiramente, é a educação dos motoristas de forma preventiva e não apenas a sua penalização”, disse.

LEIA MAIS: Câmeras de trânsito em Goiás flagram uso de celular. Veja como funciona

Câmeras

Inaugurado pelo governador Marconi Perillo (PSDB) na última segunda-feira, 5, o Centro de Controle, Operação e Fiscalização das rodovias (CCOF) em Goiás acompanhará o tráfego 24 horas por dia em trechos de rodovias estaduais.

Os equipamentos conseguem registrar o não uso de cinto de segurança, a presença de crianças no banco da frente e até mesmo o uso de telefone celular. Tudo isso é registrado ao vivo e a infração é lavrada no ato.

LEIA MAIS: Para Professor Alcides, descaso do poder público contribui com problema da droga

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter