Recesso de vereadores pode se igualar ao dos trabalhadores: 30 dias

Na norma atual, vereadores goianienses gozam de recesso anual de 45 dias e vão a plenário apenas de terça a quinta

Projeto que reduz recesso parlamentar deve ser apresentado no início da próxima legislatura | Foto: Reprodução/Diário de Goiás

Projeto que reduz recesso parlamentar deve ser apresentado no início da próxima legislatura | Foto: Reprodução/Diário de Goiás

Projeto de lei que reduz o recesso parlamentar dos vereadores de Goiânia para 30 dias está nos planos do vereador Paulo Magalhães, reeleito pelo PSD para mais um mandato.

O parlamentar anunciou que, no dia 1º de fevereiro, assim que retornarem as sessões ordinárias da Câmara Municipal de Goiânia, será apresentado o projeto que trata de um recesso menor e também de sessões plenárias de segunda-feira a sexta-feira.

Na norma atual, os vereadores goianienses gozam de recesso anual de 45 dias. Além disso, há sessão plenária apenas às terças, quartas e quintas-feiras. “Não é justo que o trabalhador tenha que trabalhar de segunda a sexta, às vezes até sábado e domingo, enquanto nós não”, argumentou Magalhães.

Recesso

No dia 15 de dezembro, foi aprovado em segunda votação um projeto de emenda à Lei Orgânica do Município (LOM) propondo a redução do recesso parlamentar da Câmara de Goiânia de 92 para 45 dias.

LEIA MAIS: Aproveitando barulho de fogos de artifício, 16 presos fogem da cadeia pelo teto em Goiás

A proposta, também de autoria de Paulo Magalhães, foi apresentada em 2013 e só agora, no fim de 2016 e de um legislatura, foi aprovada por unanimidade. Magalhães afirmou ter tentado incluir emenda que reduzia ainda para 30 dias o período, mas a alteração foi barrada.

“Espero que essa nova geração que vem aí, venha com vontade de trabalhar e respeitar o salário de vereador que recebemos”, afirmou Paulo Magalhães.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter