Vereadores aprovam a proibição do sacrifício de cães e gatos em Goiânia

Segundo vereador, ainda hoje os animais recolhidos na cidade "são sacrificados ou encaminhados às universidades, onde são submetidos a experiências"

Em Goiânia, sacrifício de cães e gatos abandonados pode ser proibido | Foto: Reprodução

Em Goiânia, sacrifício de cães e gatos abandonados pode ser proibido | Foto: Reprodução

Foi aprovado em segunda votação pela Câmara Municipal de Goiânia projeto que proíbe o sacrifício de cães e gatos por órgãos públicos e privados do município.

O autor do projeto de lei é o vereador Clécio Alves (MDB), que defendeu cuidados maiores com os animais, sobretudo os que vivem nas ruas de Goiânia.

A ideia é que o município promova uma “unidade de castração móvel”.

A iniciativa da castração móvel também foi proposta a nível estadual, mas acabou derrubada por iniciativa do Governo de Goiás, conforme noticiou o Folha Z.

O projeto ainda estabelece que a ação será mantida com verbas do Ministério da Saúde, além de medicamentos e tratamento no Centro de Zoonoses.

Além disso, os animais encontrados em estado de abandono e recolhidos pelo poder público deverão ser castrados, diz o texto.

Depois da castração desses animais, eles deverão ser encaminhados para adoção ou entidade protetora.

Autor do projeto de lei é o vereador Clécio Alves (MDB) | Foto: Alberto Maia

Autor do projeto de lei é o vereador Clécio Alves (MDB) | Foto: Alberto Maia

Justificativa

Para o vereador, é importante combater a raiz do problema, que causa o abandono e os maus tratos.

“Castrar apenas não basta. É preciso também educar. Educar a comunidade para a guarda responsável e para evitar que cães e gatos se reproduzam indiscriminadamente”, defendeu Clécio.

O projeto prevê apenas uma possibilidade para o sacrifício de cães e gatos. É o caso daqueles que forem portadores de doenças que coloquem em risco as pessoas e outros animais.

Sacrifício de cães e gatos em Goiânia

Segundo o projeto de lei, o objetivo é coibir uma prática ainda corrente em Goiânia.

“Os animais encontrados soltos e abandonados pelas ruas são recolhidos pelo Centro de Zoonoses do Departamento de Vigilância Sanitária e, caso não sejam procurados pelos seus donos, são sacrificados ou encaminhados aos centros de referência das universidades, onde são submetidos a experiências”, aponta Clécio Alves.

Trâmite

Aprovado em duas votações, o projeto agora será encaminhado para sanção ou veto do prefeito Iris Rezende (MDB).

Confira a íntegra do projeto no site da Câmara Municipal de Goiânia.