Vereador quer proibir que frentistas encham tanque acima do limite em Goiânia

Não vai adiantar o motorista insistir para abastecer depois que a trava de segurança da bomba for acionada

Abastecimento além da trava automática representa perigo | Foto: Reprodução

Abastecimento além da trava automática representa perigo | Foto: Reprodução

Tramita na Câmara Municipal de Goiânia a proposta do vereador Lucas Kitão (PSL) de proibir que postos de combustíveis encham os tanques dos carros além do ponto em que a trava de segurança da bomba é acionada automaticamente. Assim, se o motorista insistir em abastecer além do permitido, o frentista deverá informá-lo da proibição.

O valor da multa, em caso de descumprimento, será de mil Unidades de Valor Fiscal de Goiânia (UVFG). Na reincidência, será multiplicada pelo número de vezes em que a infração for cometida no período de 12 meses.

Justificativa

De acordo com o vereador, o objetivo é proteger os frentistas, os consumidores e o meio ambiente. “O abastecimento adequado dos veículos protege os frentistas de inalarem benzeno, o que ocorre quando há excesso de combustível no tanque e o gás se espalha pelo ar”, afirmou.

A intoxicação pelo gás pode causar bronquite, dificuldades respiratórias e até bronquiolites irritativas graves, com hemorragia, inflamação e edema pulmonar, podendo levar à morte. A Organização Mundial de Saúde (OMS) inclui o benzeno na lista de produtos que podem causar câncer.

LEIA MAIS: PM é assassinado no Setor Coimbra após reagir a assalto

A medida também evita desgastes ao veículo, causados pelo excesso de combustível. Quando isso ocorre, o cânister – dispositivo que absorve vapores durante o abastecimento – fica em contato com combustível e não consegue fazer a filtragem, poluindo o meio ambiente e podendo ocasionar falhas no motor, risco de queima da bomba de combustível, danos à pintura e desperdício.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter