Em debate na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Câmara Municipal de Goiânia nesta 4ª feira (3), vereadores sugeriram que o valor do auxílio emergencial no município suba para R$ 500.

Inicialmente, o texto do Renda Família, de autoria do Executivo, prevê o pagamento de 6 parcelas de R$ 300.

O parlamentar Kleybe Morais (MDB) disse que o projeto da prefeitura não poderia tramitar porque já apresentou um outro que deseja pagar um auxílio de R$ 500.

“Eu não tenho problema algum em retirar o meu projeto, mas desde que a prefeitura iguale ao valor proposto por mim”, explicou o vereador.

O vereador Pedro Azulinho (PSB) também concordou que a parcela deveria ser maior e sugeriu que aumentasse para R$ 450.

Já o parlamentar Anselmo Pereira (MDB), vice-líder do prefeito na Câmara, disse que os projetos da prefeitura e de Kleybe seriam incorporados em 1 só.

Auxílio emergencial da Prefeitura de Goiânia

Para ter acesso ao benefício, o requerente deverá ser maior de 18 anos e residir em um imóvel cujo valor venal não exceda R$ 100 mil.

Também não pode ter fonte de renda capaz de sustentar as necessidades básicas da família e todos os membros do grupo familiar devem estar sem vínculo de emprego formal ativo.

Segundo o Executivo, o programa visa beneficiar famílias em vulnerabilidade social por conta da pandemia do coronavírus.

A previsão da prefeitura é que a partir de março o benefício seja disponibilizado às famílias.

O projeto deverá ser discutido novamente na CCJ nesta 5ª feira (4).

LEIA MAIS ➡️ Renda Família: Projeto do auxílio emergencial chega à Câmara de Goiânia


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook