Neylor, Denis, Daniele e Raissa | Foto: Montagem/FZ
Neylor, Denis, Daniele e Raissa | Foto: Montagem/FZ

No dia 19 de agosto de 2013, 4 adolescentes foram mortos a tiros em Aparecida de Goiânia em um crime que chocou a cidade e ficou conhecido como a Chacina da Serra das Areias.

As vítimas foram Neylor Henrique Gomes Carneiro, 18 anos, Denis Pereira dos Santos, 16, Daniele Gomes da Silva e Raissa de Souza Ferreira, ambas de 15.

Após os homicídios, 3 dos corpos foram carbonizados.

Segundo informações da acusação promovida pelo Ministério Público, o autor, Thaygo Henrique Alves Santana, na época com 18 anos, agiu movido por ciúmes.

Ele namorava outra adolescente de 15 anos ligada ao grupo e teria ficado irado por conta de mensagens enviadas a ela por Neylor.

Tomado de ciúme, Thaygo passou a planejar a morte do rapaz.

Adolescente mostrou ao namorado mensagens enviadas por Neylor no Facebook; Thaygo ficou tomado por ciúmes | Foto: Montagem/FZ
Adolescente mostrou ao namorado mensagens enviadas por Neylor no Facebook; Thaygo ficou tomado por ciúmes | Foto: Montagem/FZ

O plano

Foi então que, pouco depois, na tarde do dia 19/08/2013, Thaygo e outros 3 comparsas colocaram o plano em prática.

Em um carro e armados, eles sequestraram Daniele e Raissa, que foram obrigadas a apontar o endereço de Neylor.

Na sequência, também raptaram o jovem e um amigo dele, Denis.

Com todas as vítimas, o grupo então se dirigiu a uma parte densa da Serra das Areias, principal reserva ambiental de Aparecida de Goiânia.

Denis e Neylor | Foto: Reprodução
Denis e Neylor | Foto: Reprodução

 

Daniele Gomes | Foto: Reprodução
Daniele Gomes | Foto: Reprodução
Raissa Ferreira | Foto: Reprodução
Raissa Ferreira | Foto: Reprodução

A execução

Segundo o Ministério Público, Thaygo deu a ordem para que os 4 jovens se enfileirassem lado a lado.

Primeiro, matou Neylor com 1 tiro na cabeça. Depois, ordenou que os comparsas matassem Raissa e Daniele, da mesma forma.

Na sequência, os autores levaram Denis para outro local, na mata, e o mataram também, baleado na cabeça.

Nos corpos de Raissa, Daniele e Neylor, eles atiraram gasolina e atearam fogo, na tentativa de dificultar a identificação.

Dias depois, porém, todos os cadáveres foram localizados e identificados.

E aí começou a caçada pelos autores.

Thaygo Henrique Alves Santana, na época com 18 anos | Foto: Reprodução
Thaygo Henrique Alves Santana, na época com 18 anos | Foto: Reprodução

A prisão

De acordo com os autos, Thaygo queria matar Neylor e, para isso, contou com a ajuda de Alison Pereira Costa e Silva e outros 2 menores.

Alisson e 1 dos menores, porém, foram assassinados ao longo do processo.

Mas uma adolescente teve atuação decisiva na chacina.

Segundo apurado pela investigação, a jovem namorada de Thaygo participou do planejamento do crime.

Foi ela quem entregou a localização das meninas, que eram suas amigas mais próximas na escola.

Depois, ainda teria sido ela quem atirou contra Denis.

Encontrada 11 dias após os homicídios na casa de uma tia de Thaygo, ela ajudou a polícia a capturá-lo.

Após caçada, Thaygo foi preso e encaminhado à CPP de Aparecida, para aguardar julgamento | Foto: Divulgação/PC-GO
Após caçada, Thaygo foi preso e encaminhado à CPP de Aparecida, para aguardar julgamento | Foto: Divulgação/PC-GO

Conhecido como “Thayguinho do Garavelo”, o rapaz também foi encontrado 2 semanas após os crimes.

Ele estava com 2 comparsas, em uma casa, em Aparecida.

À polícia, a adolescente disse que achava que o namorado planejava apenas “brigar” com Neylor, nada além disso.

Já Thaygo, em depoimento, afiançou que a jovem teria pedido a ele que matasse Neylor “como prova de amor”.

A condenação

Quase 5 anos depois, no dia 15 de abril de 2019, um júri popular composto por 7 pessoas decidiu condenar Thaygo Henrique Alves Santana.

Foram quase 10h de julgamento.

Pelo homicídio do Neylor, ele foi condenado por 4 votos a 1.

Juiz Leonardo Fleury Curado Dias, da 4ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia, ouve testemunhas relacionadas à Chacina Serra das Areias (Thaygo, algemado, ao fundo) | Fotos: Aline Caetano/Centro de Comunicação Social do TJGO
Juiz Leonardo Fleury Curado Dias, da 4ª Vara Criminal de Aparecida de Goiânia, ouve testemunhas relacionadas à Chacina Serra das Areias (Thaygo, algemado, ao fundo) | Fotos: Aline Caetano/Centro de Comunicação Social do TJGO
Thaygo negou acusações durante depoimento no júri realizado em 2019 | Foto: Reprodução
Thaygo negou acusações durante depoimento no júri realizado em 2019 | Foto: Reprodução

Pelas mortes de Daniele e Denis, 4 votos a 2.

Já com relação a Raissa, 4 a 3.

Em seu depoimento, Thaygo negou todos os fatos imputados a ele.

À época já com 24 anos, o condenado recebeu pena de 63 anos de reclusão.

Fuga

Como já havia passado 6 anos na Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia aguardando julgamento, Thaygo, naquela altura, ainda tinha 57 anos para cumprir da sua pena.

Mas ele não tinha intenção de respeitar a sentença.

Pouco mais de 1 semana após o júri, em 23/04/2019, o criminoso se juntou a outros 23 detentos que fugiram da CPP.

Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia | Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia | Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

De acordo com o Sindicato dos Servidores do Sistema de Execução Penal de Goiás (Sinsep), o grupo preparou uma emboscada para os agentes prisionais.

Os servidores foram rendidos enquanto levavam os presos que trabalhavam na lanchonete da carceragem de volta para suas celas.

Durante a fuga, 6 detentos foram feridos e não tiveram êxito.

Outros 8 foram recapturados no dia seguinte e outro morreu em troca de tiros com policiais militares.

Thaygo, porém, nunca foi localizado.

Procurada pela Folha Z nessa 4ª feira (2), a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás informou que ele continua foragido.

O luto

Em entrevista à TV Record em novembro de 2014, familiares das vítimas relataram a dor da perda dos jovens.

A reportagem também mostrou vídeos gravados poucas horas antes da chacina.

Daniele e Raissa dançam com adolescente que, pouco depois, as levaria para a morte | Foto: Reprodução
Raissa e Daniele dançam com adolescente que, pouco depois, as levaria para a morte | Foto: Reprodução

Nas imagens, Raissa e Daniele aparecem dançando ao lado da namorada de Thaygo na manhã do crime.

Em outro registro, Neylor e Denis brincam com colegas de escola, sem saber que estavam nos planos macabros no assassino.

“É uma perda muito grande, por nada… Eu só quero que tudo isso acabe de uma maneira justa”, comentaram os pais de Neylor, 6 anos atrás.

Veja: 

Relembre Leonardo Pareja: de sequestros e rebeliões à morte sem fama


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook