Enel Goiás
Enel Goiás | Foto: Reprodução

Até quando os goianos precisarão conviver com o desrespeito da Enel Distribuição Goiás, companhia que, ano após ano, figura entre as piores distribuidoras de energia do Brasil?

A empresa assumiu o serviço no Estado em 2017, com a promessa de fornecer um trabalho de maior qualidade do que a Celg.

Mas a realidade é que, além de ter uma das contas de energia mais caras do Brasil, a Enel Goiás frequentemente deixa os cidadãos no escuro e sem respaldo nenhum.

Pisca pisca

Neste mês de dezembro, têm sido constantes os episódios de pisca pisca em vários bairros da capital.

Pode parecer que é uma homenagem ao período natalino, mas não. É só a instabilidade da rede.

Para piorar, as quedas e retornos da energia colocam em risco equipamentos e maquinário de comércios, empresas e até mesmo residências goianas.

A situação não é diferente em cidades como Aparecida, Rio Verde e Anápolis.

Regiões com produção industrial forte e que também se veem prejudicadas pela ineficiência da companhia.

Insatisfeito, o consumidor pode até tentar contato com os canais de comunicação da Enel.

Mas a resposta não varia muito em relação à tradicional: “uma equipe foi enviada para verificar o ocorrido”.

Redação da Folha Z e imediações mais uma vez sem energia nesta 2ª feira (14). Quedas têm sido constantes
Redação da Folha Z e imediações mais uma vez sem energia nesta 2ª feira (14). Quedas têm sido constantes | Foto: José Alves/Folha Z

Encampação

Mas a quem recorrer?

Em 2019, chegou a tramitar na Assembleia Legislativa um projeto de lei que determinava a encampação da Enel Goiás.

O objetivo era buscar a rescisão do contrato de concessão para prestação do serviço público, deixando-o novamente nas mãos da Celg.

Mas a iniciativa, aos poucos, acabou esquecida e o projeto caducou nos arquivos do Legislativo.

Chegou a hora dos deputados e do governador Ronaldo Caiado assumirem essa briga para valer.

A ineficiência da Enel, além de ser revoltante, prejudica o crescimento do Estado.

Enquanto a empresa mantém seu monopólio sobre o serviço público e cobra valores exorbitantes, o cidadão só pode reclamar.

Isso quando consegue ser atendido.

Encampação já!


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook