Auxílio Emergencial visa atenuar efeitos da crise do coronavírus entre as famílias mais vulneráveis do Brasil | Foto: Marcos Santos/USP Imagens e Leonardo Sá/Agência Senado
Auxílio Emergencial visa atenuar efeitos da crise do coronavírus entre as famílias mais vulneráveis do Brasil | Foto: Marcos Santos/USP Imagens e Leonardo Sá/Agência Senado

Deputados e senadores promulgaram a Emenda Constitucional 109/2021, que permite a instituição do novo Auxílio Emergencial, em sessão solene remota nesta 2ª feira (15).

Com o texto aprovado, a expectativa é que o Governo Federal ofereça mais 4 parcelas do benefício, com valores entre R$ 150 e R$ 375, a depender da composição familiar do beneficiário.

Porém, a definição sobre valores e quantidade de parcelas só ocorrerá por meio de medida provisória, a ser editada pelo governo nos próximos dias.

A 1ª fase de pagamentos do auxílio chegou a R$ 292 bilhões para cerca de 68 milhões de pessoas.

Agora, há previsão de R$ 44 bilhões destinados por fora do teto de gastos.

[Redação com informações da Agência Brasil.]

Auxílio emergencial: Caixa anuncia prazo para atualização do cadastro


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook