Suspeita de matar grávida pode ter sequestrado outras crianças

Cabeleira é suspeita de ter envolvimento em outros crimes |Foto: Divulgação
Cabeleira é suspeita de ter envolvimento em outros crimes |Foto: Divulgação

A cabeleireira Shirley Benfica, de 30 anos, vista como a mandante da morte da grávida Greiciara, em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, é suspeita de sequestrar outras crianças na região. Segundo a Polícia Civil (PC), um dos casos ocorreu no início do ano em Uberlândia (MG).

De acordo com a PC, duas pessoas chegaram a uma residência, em uma sexta-feira, e roubaram uma garota de dois meses que dormia em um carrinho de bebê durante a ação.

As investigações apontam que um homem, provavelmente, bateu na irmã da vítima, que apareceu na varanda da casa para ver o que estava ocorrendo. Testemunhas disseram que o suspeito tinha a companhia de uma travesti para cometer os crimes. A PC investiga a relação de Shirley com esse suposto abuso sexual.

LEIA MAIS: Jovem é encontrada morta com barriga aberta e sem o bebê

LEIA MAIS: Bebê foi arrancado da barriga da mãe por encomenda

Entenda o caso

A Polícia Civil (PC) de Minas Gerais prendeu na última quarta-feira, 24, quatro suspeitos de terem matado a jovem Greiciara Belo Vieira, de 19 anos. A mulher morava em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, mas o corpo foi encontrado em uma lagoa de Ituiutaba, cidade na mesma região.

A jovem, que estava grávida de nove meses, morreu após ser sequestrada, na quinta-feira, 18, e ter o bebê retirado da barriga sem qualquer tipo de anestesia ou cuidado. Greiciara teve de assistir o parto do bebê e implorou pela vida dele. O corpo da vítima foi encontrado no domingo, 21.

Segundo o delegado responsável pelo caso de Ituiutaba, Carlos Antônio Fernandes, a suspeita de ter planejado o crime, Shirley de Oliveira Benfica, de 30 anos, simulou estar grávida e planejava apresentar o bebê tirado de Greiciara como se fosse seu. Ela não mentiu sobre a gravidez para não terminar o namoro com um homem rico.

A gestante teria sido atraída para a armadilha pela técnica em enfermagem Jacira Santos de Oliveira, de 48 anos, que disse ter um presente para a criança como pretexto para marcar um encontro. Shirley e duas transexuais conhecidas como Mirele, de 22 anos, e Yasmin, de 24 anos, estão presas.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

Comentários do Facebook