O novo coronavírus tem causado medo e aflição no mundo inteiro preocupado. Em Goiás, já houve confirmação de casos da doença, assim como no restante do Brasil.

Lugares fechados e com aglomeração, como ônibus coletivos, podem se tornar perigosos para contaminação.

Pensando nisso, a Folha Z fez um tira-teima sobre o que é mito e o que é verdade sobre as maneiras de contrair a doença. Confira:

Desinformação

As fake news das fake news em 2020 | Foto: Pixabay
As fake news das fake news em 2020 | Foto: Pixabay

De acordo com o médico David Powell, as máscaras não devem ser prioridade na prevenção.

Em entrevista ao Bloomberg, Powell afirmou que há poucas evidências da eficiência do método.

Além disso, conforme o especialista, as máscaras ficam úmidas com o tempo, o que favorece a proliferação de vírus e bactérias.

Outra desinformação é a possibilidade de contrair a doença encostando em assentos ou apoios de braços.

Para a contaminação, o contato com o vírus deve ser de maneira direta. Ou seja, é preciso que a mucosa da boca, por exemplo, se aproxime do fluido contaminado (espirro ou tosse).

ônibus contaminação Coronavírus
Ônibus aglomeram grande número de pessoas | Foto: Reprodução

Fique ligado

Já o que realmente pode facilitar a transmissão do Coronavírus, Powell lembra da importância da higienização das mãos como melhor forma de prevenção.

O médico recomenda que os membros sejam lavados e secos com frequência, e se possível, utilizar o álcool em gel.

álcool gel Coronavírus
A higienização das mãos é a melhor maneira de se prevenir contra o Coronavírus | Foto: Site Fotos Públicas

Outro alerta de David para as mãos é no momento de tossir ou espirrar. Segundo ele, é recomendável utilizar algum material descartável para proteger.

Ministério da Saúde confirma 1º caso de Coronavírus no Brasil


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook