Denúncia de corrupção pode ser feita pelo telefone em Goiás

Serviço já foi responsável pela deflagração de 14 operações policiais contra o chamado crime de colarinho branco. Veja como denunciar anonimamente

Canal denúncias corrupção Goiás
Goiás possui canal de denúncias contra a corrupção | Foto: Divulgação

Goiás possui um número que serve como canal de disque denúncia para o combate à corrupção no Estado.

Lançado em novembro 2019, o serviço registrou 31 denúncias, sendo que 14 delas contribuíram para a realização de operações policiais.

Atualmente, 8 pessoas trabalham no setor de atendimento.

Para fazer uma denúncia de forma anônima, o cidadão deve discar o 181, entre 6h e meia-noite, de 2ª a 6ª feira, inclusive aos feriados.

Segundo o superintendente de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado, Alexandre Pinto Lourenço, todas as informações repassadas são checadas pela Polícia Civil (PC).

“Algumas investigações ainda estão em andamento e outras estão por vir”, disse.

“Essas 14 representam aquelas que vieram com narração substancial e já resultaram em ações concretas”, completa, referindo-se às operações já deflagradas pelas forças policiais.

Polícia Civil combate denúncias Goiás
Denúncia de corrupção pelo telefone já contribuiu para deflagrar 14 operações policiais | Foto: Divulgação

Canal de denúncias contra a corrupção

As operações “Cegueira Deliberada” e “Metástase” são exemplos de denúncias pelo Disque Combate à Corrupção.

A 1ª apurou desvios de recursos envolvendo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-GO) e uma empresa responsável pela vistoria veicular.

Já a outra colocou na mira do então Grupo Especial de Combate à Corrupção (Geccor) negociações ilícitas entre o Instituto de Assistência dos Servidores do Estado de Goiás (Ipasgo) e um instituto médico responsável por tratamento oncológico.

Segundo o governo, em ambos os casos, os crimes foram praticados durante a gestão estadual passada.

LEIA MAIS ➡️ PC investiga relato de estupro coletivo em hotel de Caldas Novas


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook