Aparecida terá Semana de Finados e visitas aos cemitérios deverão ser agendadas | Foto: Ênio Medeiros
Aparecida terá Semana de Finados e visitas aos cemitérios deverão ser agendadas | Foto: Ênio Medeiros

Quem pretende visitar o túmulo de amigos ou familiares nos cemitérios de Aparecida de Goiânia durante o Dia de Finados deverá fazer agendamento antecipado.

A medida faz parte das normas estabelecidas pelo Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus.

Só no ano passado, 65 mil pessoas passaram pelos 3 cemitérios da cidade no feriado de 2 de novembro.

Para evitar as aglomerações, a prefeitura decidiu que, em 2020, a visitação será distribuída em 10 dias e deverá seguir normas estabelecidas pela Vigilância Sanitária.

Como agendar

De acordo com a Portaria Nº 081/2020-GAB/SMS, publicada na manhã desta 4ª feira (21), a programação de Finados será de 24 de outubro a 2 de novembro.

Os grupos de visitantes poderão ser de, no máximo, 3 pessoas.

Já o agendamento antecipado de visitas será feito por meio do site da Prefeitura de Aparecida (📲 clique aqui) ou pelo telefone da Central de Óbitos 3238-7210.

Será obrigatória também a apresentação de comprovante do agendamento na entrada dos cemitérios, ainda que por meio digital.

Horários

O horário de visitação nos Cemitérios Central e Jardim da Esperança será das 8h às 18h; e no Cemitério Jardim da Paz das 09h às 19h.

As visitas não poderão ultrapassar os 30 minutos.

No dia do feriado de 2 de novembro, os cemitérios Central e Jardim da Esperança poderão funcionar a partir das 6h.

As celebrações religiosas, como missas, rezas e cultos, estão suspensas.

Fiscais e orientadores estarão no dia 31 de outubro e nos dias 1º e 2 de novembro nas entradas dos cemitérios para a organização de visitas e controle de pessoal.

O uso de máscara é obrigatório.

LEIA MAIS 👉 Aparecida: Confira mais de 750 vagas de emprego abertas nesta semana


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook