Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Palácio das Esmeraldas, sede do Governo estadual (Foto: Seeg)
Palácio das Esmeraldas, sede do Governo estadual (Foto: Seeg)

Pau que dá em Chico…

Deputados estaduais de oposição e situação cresceram o olho hoje no edital de licitação do Gabinete Militar do Governo de Goiás referente ao fornecimento de alimentos para o Palácio das Esmeraldas no período de 12 meses. Entre os itens mencionados constam frutas e carnes diversas, frutos do mar, queijos e frios. A data prevista para o pregão eletrônico é 22 de julho.

… dá em Francisco

O interesse dos parlamentares pelo consumo e supostas excentricidades na cozinha do Palácio tem a ver com as constantes críticas que estão recebendo sobre gastos da verba indenizatória com despesas em lanchonetes e restaurantes. Uma espécie de “campanha contra os deputados”, segundo os próprios atingidos, estaria sendo articulada por blogs e sites patrocinados pelo governo. Uma parada indigesta, literalmente.

Polêmica sertaneja (I)

“O caso do Zeca Camargo é o de uma pessoa que já vem com um histórico de arrogância. Essa antipatia deixou um sentimento contra ele latente. Quando ele veio com a crítica, foi um desastre. Ele bateu de frente com um público muito numeroso, jovem e opinante na rede. Foi o tipo de coisa que era melhor não opinar”. (Declaração do cantor Guilherme Arantes ao jornal O Popular sobre o comentário de Zeca Camargo na Globo News em relação à comoção pela morte de Cristiano Araújo).

Polêmica sertaneja II

“Eu não conhecia Cristiano Araújo. Não considero minimamente arte o estilo sertanejo universitário (que insiste em ficar no primário). E não é por que ele morreu que deve virar sensação — pelo menos para mim. A única ligação que tive com o moço foi vê-lo num outdoor, com aquela pose de falta de cérebro, típica de ídolos do gênero, antes de um show na pecuária, em Goiânia, como vi tantos outros, que surgem no mercado como capim na roça (como ganham milhões de reais vendendo lixo, investem pesado em publicidade). (Trecho do artigo do jornalista Edmar Oliveira, colaborador do Jornal Opção, defensor da opinião do apresentador da Rede Globo).

“Parte integrante da multidão surpresa, me rendo também à autocrítica de saber tão pouco sobre o mundo. Como bem definiu um amigo, surge de repente uma constatação vergonhosa de que a bola está passando entre as pernas”. (Trecho do artigo da jornalista Silvana Bittencourt no jornal O Popular de hoje, admitindo certo desconhecimento sobre os emergentes da música sertaneja).

Valério Luiz de Oliveira foi morto em 5 de julho, na porta da rádio em que trabalhava, no Setor Serrinha (Foto: Reprodução)
Valério Luiz de Oliveira foi morto em 5 de julho, na porta da rádio em que trabalhava, no Setor Serrinha (Foto: Reprodução)

Martírio

Parece que foi ontem, em função do impacto e da repercussão, mas no próximo domingo, 5 de julho, serão completados três anos do brutal assassinato do cronista esportivo Valério Luiz. Confesso que minha memória foi refrescada pelo artigo de Valério Luiz Filho na edição de hoje do jornal O Popular. Como bem destacou o advogado, a luta permanente dos familiares é “contra o sofrimento da perda, dar sentido ao calvário que é estar vivo”. Enquanto isso resta esperar pela justiça dos homens…

1008 opções  

Ou os pauteiros das redações não circulam pela cidade ou estão fazendo vista grossa para o fenômeno chamado Corredor 1008 no setor Pedro Ludovico. O tradicional bar e restaurante tem ocupado todos os espaços disponíveis no quarteirão para acomodar centenas de clientes. A fama da boa e farta comida provoca um interminável revezamento aos finais de semana, lotando as três dependências oferecidas, estacionamentos e ilhas das avenidas. Um verdadeiro fenômeno etílico e gastronômico no coração de Goiânia.

Comentários do Facebook