JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak

Rodrigo Jogo Limpo

 

Essa doeu

Antonio Faleiros
Antonio Faleiros (PSDB)

A mágoa do tucano Antônio Faleiros com Marconi Perillo é bem maior do que se imagina. Ao contrário de Jovair Arantes e Carlos Alberto Lereia, que manifestaram contrariedade publicamente e depois recuaram, o ex-presidente regional do PSDB falou “cobras e lagartos” do governador em entrevista à Rádio 730. A democracia no partido, segundo ele, ficou no passado. “Marconi manda mais no PSDB do que Iris Rezende no PMDB”. Uma comparação que tirou o humor do governador.

Judas

A postura discreta da senadora Lúcia Vânia (PSDB) não impediu que ela saísse chamuscada da disputa pela 1ª Secretaria da Mesa Diretora. Sintonizada com o presidente Renan Calheiros (PMDB), em quem teria votado contra Luiz Henrique, Lúcia armou estratégia de enfrentamento que lhe causou enorme desgaste no ninho tucano. Foi obrigada a recuar, a pedido de Aécio Neves, e agora convive com a pecha de “traidora” entre os colegas de partido.

Chumbo trocado                                                                

O deputado federal Tiririca (PR-SP) voltou a chamar atenção por declaração polêmica. Disse que o circo, em certos momentos, é mais organizado que a Câmara. O que o palhaço nas horas vagas não imaginava era que a reação viria da sua equipe de trabalho. Como exonerou metade dos funcionários do gabinete, alguns sem aviso, passou a enfrentar a ira dos ex-auxiliares. Tiririca, segundo eles, é mais assíduo no vídeo game do que no plenário ou nas comissões da Câmara. Onde é mesmo o circo?

Divisor de águas

Quem disputará o cargo com Macalé?
Sebastião Macalé é um dos principais nomes nas eleições da Ordem dos Advogados

Hoje tem eleição, no final da tarde, para mandato tampão na presidência da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás. Independente de quem saia vencedor – quatro candidatos disputam – a torcida de boa parte dos filiados é que, num trocadilho, a OAB Forte do passado deixe de ser a OAB Agachada dos dias atuais. O constrangimento é geral pelo rumo político tomado pela instituição nos últimos anos.

Prazo pra acabar

A ojeriza de Dilma Rousseff por Henrique Meirelles pode ser grande, mas a necessidade de recolocar a Petrobras nos trilhos é muito maior. A presidente sabe que não há outro nome tão qualificado e de peso no mercado. Sua birra por Meirelles diminui na mesma proporção em que crescem nos bastidores os comentários sobre um hipotético pedido de impeachment. Dilma pode ser turrona, mas não joga barril de petróleo pela janela.

#VemPraRua

Não importa se serão 1 mil, 2 mil ou 30 mil pessoas na Praça do Bandeirante logo mais, a partir das 18 horas. O fundamental é a necessidade da manifestação contra o reajuste abusivo nos preços dos combustíveis e também contra a roubalheira na Petrobras. De forma pacífica, todo brasileiro deve gritar, criticar e não aceitar as medidas impopulares dos governantes, independente de cor partidária. Só assim a democracia se consolida de vez.

Fim do glamour

Decadêndia e aposentadoria são palavras que causam calafrios nos atletas em geral. Veja o caso do ex-campeão dos pesos médios (MMA) Anderson Silva. Pego no exame antidoping por uso de anabolizantes, o lutador de 39 anos sofre mais um duro golpe no fim da carreira. Aliás, lidar com a fratura na perna esquerda foi bem mais fácil. Anderson agora está enfrentando desconfianças, ironias e críticas daqueles que um dia o idolatraram como o maior lutador de MMA de todos os tempos.

Comentários do Facebook