PM de tropeço em tropeço – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Suposto policial sem identificação aponta arma para estudante secundarista em manifestação em Goiânia (Foto: Reprodução / Desneuralizador)
Suposto policial sem identificação aponta arma para estudante secundarista em manifestação em Goiânia (Foto: Reprodução / Desneuralizador)

PM de tropeço em tropeço

O que está acontecendo com a valorosa Polícia Militar do Estado de Goiás? Parece perdida em meio a um secretário de Segurança Pública omisso e um comandante-geral preocupado com projeto político. Não há justificativa para o fato de um policial à paisana apontar arma para um garoto de 16 anos durante manifestação em Goiânia contra mudanças na educação. E muito menos a PM admitir, via assessoria, não ser possível identificar o “desconhecido”. Ele foi filmado e fotografado apontando a arma ao jovem.

Barril de pólvora

O cidadão comum fica a se perguntar: os policiais militares não são treinados para agir exatamente em momentos de conflito, de tensão? Se uma simples manifestação de estudantes é capaz de tirar um PM do sério, imagine perseguição a suspeitos ou confronto com bandidos? É bom que o secretário Joaquim Mesquita saia imediatamente da zona de conforto em que se encontra. Novas manifestações estão programadas e o acirramento tende a aumentar.

Secretário Joaquim Mesquita e governador Marconi Perillo (Foto: Reprodução)
Secretário Joaquim Mesquita e governador Marconi Perillo (Foto: Reprodução)

Outras prioridades

De Búzios (RJ), onde curte merecidas férias, o governador Marconi Perillo já mandou desenhar aos auxiliares a diferença entre truculência e controle da situação. Em tempo: o interino José Eliton até tentou intervir, mas o esforço para encontrar consenso entre os pré-candidatos da base governista à Prefeitura de Goiânia lhe tirou as forças.

Pouco resultado

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal bem que poderia chamar Programa de Acomodação de Crédito. Menos da metade dos recursos divulgados para obras no país é efetivado pra valer. Dos R$ 68 bilhões prometidos em 2015 apenas R$ 24 bilhões foram repassados aos estados e municípios. Antídoto para o PAC é seguir recomendação de São Tomé: ver para crer.

asd
Mato alto em praça do Setor Aeroporto (Foto: Leitora)

Freguesia que incomoda

O clássico Goiás x Vila Nova, na primeira rodada do Campeonato Goiano, será uma espécie de termômetro para o restante da temporada. Em caso de gritante supremacia, principalmente para o lado verde da disputa, a pressão sobre o adversário poderá ser maior do que o suportável. A torcida colorada está em lua-de-mel com o time, mas as seguidas derrotas para o rival ainda provocam calafrios.

Grito de socorro

Eles não são os únicos em Goiânia, pelo contrário, mas os moradores do Setor Aeroporto estão com a famosa sensação de abandono do poder público. O mato alto tomou conta de praticamente todas as praças do bairro. Uma delas fica na rua 27-A. A única alternativa que restou aos pagadores de impostos foi apelar aos veículos de comunicação para sensibilizar a Prefeitura de Goiânia.

Comentários do Facebook