Violência contra mulheres em Goiás aciona sinal de alerta em Brasília

 

Marina Sant'Anna se mobilizou em defesa das mulheres (Foto: Guilherme Mendonça)
Marina Sant’Anna se mobilizou em defesa das mulheres (Foto: Guilherme Mendonça)

Com o crescente aumento da violência contra as mulheres, principalmente em Goiás, as parlamentares da Câmara dos Deputados se mobilizaram para incluir na pauta de votação projetos que visam ampliar a zona de proteção às brasileiras, e exigem que eles sejam votados até o final do ano.

A Comissão Mista Parlamentar de Inquérito (CPMI), criada para investigar crimes contra as mulheres, tem 12 projetos de lei que aguardam posição do plenário, entre eles, está o que cria um Fundo Nacional de Enfrentamento à violência contra a mulher, que torna, por exemplo, a violência doméstica crime de tortura.

A candidata ao Senado por Goiás, Marina Sant’Anna (PT), coordenadora dos trabalhos da CPMI, cobra agilidade e solidariedade para tratar o assunto. “Temos um drama relacionado à violência. Em Goiás a criminalidade está num nível assustador e a porcentagem de assassinatos só cresce. É um dos piores índices do Brasil”, ressalta.

Sinal de Alerta

A violência contra as mulheres em Goiás reascendeu o sinal de alerta na Câmara dos Deputados e desencadeou as cobranças da bancada feminina para apreciação das propostas da CPMI, que estão prontas para o plenário. Só neste ano, no Estado 16 mulheres forma mortas em circunstâncias parecidas, por motoqueiros e com tiros certeiros. A suspeita que há um serial killer cresce a cada crime junto o medo da sociedade.

Comentários do Facebook