Governo de Goiás edita decreto de quarentena para coibir o avanço do coronavírus no Estado | Foto: Divulgação / PMGO
Governo de Goiás edita decreto de quarentena para coibir o avanço do coronavírus no Estado | Foto: Divulgação / PMGO

Um novo decreto do Governo de Goiás trará medidas mais restritivas em relação ao fechamento de empresas e indústrias no Estado.

A princípio, o objetivo era permitir o funcionamento apenas do parque industrial essencial à saúde.

Porém, uma reunião com representantes da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) motivou um ajuste no documento, que, por isso, sofreu um atraso na publicação.

De acordo com o presidente da Fieg, Sandro Mabel, todas os setores de produção que não estiverem mencionados como exceção no decreto deverão fechar as portas por 15 dias.

“[Caiado] só queria deixar os supermercados abertos, mas fechar as indústrias de alimentos. Não tem jeito. Os supermercados só têm estoque para 1, 2 dias”, afirmou Mabel em entrevista na manhã desta 6ª feira (20).

Segundo ele, o mesmo vale para a produção das embalagens e da cadeia de transporte.

Sandro Mabel | Foto: Reprodução
Sandro Mabel | Foto: Reprodução

Dessa maneira, as seguintes indústrias dos ramos de alimentação, saúde e segurança devem seguir em funcionamento:

  • medicamentos,
  • materiais hospitalares e médicos,
  • alimentos,
  • higiene e limpeza,
  • combustíveis,
  • material e equipamento de segurança pública,
  • ração animal,
  • bancos e loterias,
  • portaria e vigilância patrimonial,
  • transporte público,
  • táxis e transporte por aplicativos,
  • e lavanderia hospitalar.

Porém, a liberação está condicionada a um regime diferenciado de operação, que inclui: revezamento de funcionários, espaçamento entre as plataformas de trabalho e oferta de materiais de desinfecção.

Estabelecimentos que envolvam contato com o público, como bancos e supermercados, deverão controlar a entrada de clientes para evitar aglomerações.

“É hora de união. Tenho encrencado com o governador, mas agora é trégua”, afirmou Mabel.

O que abre e fecha em Goiás durante estado de emergência


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook