Iris Rezende: Prefeito, governador, senador e ministro. O que mais?

Segundo nas pesquisas de intenção de voto para governador de Goiás, Iris Rezende acusa os adversários de ilegalidade e se defende das mesmas alegações

Por Marco Faleiro

Chegando à quinta eleição pelo governo de Goiás, Iris Rezende (PMDB) mantém o discurso de que a sua candidatura representa uma mudança na situação do Estado. Com duas vitórias (1983 e 1991) e duas derrotas (1998 e 2010), essas últimas contra o atual concorrente ao cargo, a coligação do peemedebista baseia as recentes campanhas com foco na sua longa experiência como político.

Questionado pelo Folha Z sobre quais propostas de campanha mais divergem dos demais governadoriáveis, o candidato afirmou que, em vez de gastar verba com publicidade, pretende investir dinheiro na construção de hospitais regionais. “São R$ 500 milhões gastos em publicidade [no governo Marconi]”, denuncia Iris.

Mas uma das grandes desconfianças do eleitor é justamente por que ser governador pela terceira vez e o que isso representaria de mudança para os goianos. A resposta do candidato a esse questionamento é ligeira, ainda que evasiva: “Não será apenas mais um mandato peemedebista. Será o mandato em que trabalharei dia e noite para mudar e melhorar a vida de todos os goianos que sofrem com o governo omisso e desonesto”.

Candidato do PMDB vai para a terceira disputa contra Marconi Perillo
Candidato do PMDB vai para a terceira disputa contra Marconi Perillo

Marconi Perillo

Já que o candidato fala em mudanças, o Folha Z insistiu em questionar ações pontuais que seriam aplicadas nos quatro anos de mandato. Segundo Iris, os principais investimentos seriam em segurança pública e saúde. Em relação à última, o peemedebista garantiu que a prometida construção de hospitais desafogaria o serviço de ambulâncias. Hoje, são elas que trazem pacientes do interior e das periferias para serem atendidos nos centros de referência da capital do Estado.

Iris Rezende avalia que a administração Perillo deixou a segurança do Estado em situação caótica, além de afastar novas empresas por causa do sucateamento da Celg. E, para ele, o governo abandonou os artistas goianos, o que levou aos protestos pelo Fundo de Cultura em frente ao Palácio Pedro Ludovico, em julho deste ano.

Caso Cachoeira

Se referindo ao contraventor Carlos Cachoeira, Iris chama a atual gestão de “atrelada ao banditismo e à criminalidade”. Quanto à sua própria ligação com o jogo do Bicho, sugerida por Cachoeira, o candidato do PMDB se defende com veemência: “Minha vida já foi devassada pelo Ministério Público, a pedido do governador de Goiás, e nada, nenhuma mancha foi encontrada”.

A reportagem indagou se Iris tem medo de que as acusações de Cachoeira venham a ser provadas. Em agosto, o contraventor publicou artigo intitulado “Os canalhas também envelhecem”, em que indicou uma conexão entre Iris Rezende e a construtora Delta, flagrada em escândalos de corrupção. Para o ex-prefeito, as afirmações contidas no artigo “são inverdades propaladas a mando daqueles que estão governando Goiás e temem perder o seu lugar no poder”.

Comentários do Facebook