Adson Batista diz que juiz torce para o Goiás, é gordo e deveria se aposentar

Adson Batista, diretor de futebol do Atlético | Foto: Atlético GO
Adson Batista, diretor de futebol do Atlético | Foto: Atlético GO

O segundo clássico do futebol goiano em 2017 foi pouco movimentado, principalmente em questão de gols, mas gerou muita discussão pós-jogo. Após a derrota de 1 a 0 para o Goiás no domingo, 5, o diretor de futebol do Atlético Adson Batista criticou com veemência a atuação do árbitro da partida, André Luiz Castro. Veja o lance do gol no vídeo abaixo.

Em entrevista à “Rádio 730”, o dirigente sugeriu que o juiz seria torcedor do Goiás e que sua escalação para a partida tenha sido uma resposta da federação às reclamações do Goiás após a primeira rodada do campeonato.

“Toda vez que o Goiás reclama de arbitragem vem o torcedor número um deles que é o André Luiz Castro. Ele travando o jogo, amarrando o nosso time e tendencioso. O Goiás não precisa disso”, disse.

LEIA MAIS: Projeto barra porte de armas por vereadores em plenário e em comissões

A irritação de Adson deve-se a um lance envolvendo o atacante rubro-negro Júnior Viçosa. Em dividida com o zagueiro Everton Sena, ele caiu dentro da área, pediu pênalti e o juiz mandou seguir o jogo.

“Gordo”

Mas Adson foi além e ainda afirmou que o árbitro deva aposentar o apito. “A Federação tem sido parceira do Atlético, eu respeito muito o Pitta. Só que o André Luiz tem que parar de apitar e fazer igual o Luiz Alberto Bites, que era torcedor do Goiás e foi trabalhar lá na comissão técnica deles lá. Ele está gordo, apitando de longe e pesado. Essa é minha opinião. Ele ajudou muito o Goiás no clássico”.

Com gol de pênalti marcado pelo artilheiro da competição Léo Gamalho, o Goiás derrotou o Atlético e segue invicto. Já o Dragão soma duas derrotas em clássicos e joga novamente às 21h45 quarta-feira, 8, contra o Crac de Catalão, no Serra Dourada.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

Comentários do Facebook