Alunos de Medicina e Odontologia que estiverem inscritos no Programa Universitário do Bem (ProBem), o novo Bolsa Universitária, receberão bolsas de até R$ 5,8 mil em Goiás.

A iniciativa é desenvolvida pela Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e foi sancionada pelo governador Ronaldo Caiado nessa 3ª feira (5).

Pelo programa, serão concedidas bolsas integrais e parciais que corresponderão a 100% e 50% do valor da mensalidade, que serão repassadas diretamente à instituição.

Os valores alcançarão, para alunos de Medicina e Odontologia, até R$ 2,9 mil (bolsa parcial) e até R$ 5,8 mil (integral).

Para a maioria dos outros cursos, o repasse de 50% será de até R$ 650 e de até R$ 1,5 mil para 100%.

Segundo o governo, os valores serão reajustados de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Como conseguir as bolsas em Goiás?

O aluno inscrito no ProBem será submetido a um processo de seleção, em que será formado um indicador sintético multidimensional de pobreza com base nas suas informações atualizadas no Cadastro Único, analisando dados como:

  • a composição familiar;
  • características demográficas dos indivíduos;
  • qualidade da moradia;
  • mercado de trabalho e rendimentos;
  • e dificuldade de acesso à educação, inclusive com a análise da existência de familiares (como pais) analfabetos ou semianalfabetos.

Em cada processo seletivo de concessão serão reservados 5% do total de bolsas, integrais e parciais, para candidatos com deficiência.

Para se manter inscrito, o bolsista do ProBem deve obter aproveitamento acadêmico mínimo de 75% nas disciplinas cursadas no semestre.

Ele também não pode abandonar o curso, nem desistir, evadir-se ou trancar uma disciplina, ressalvado justo motivo, devidamente comprovado junto à administração do programa.

O aluno também deve comprovar a participação nas ações e nos projetos previstos no Banco de Oportunidades.

Banco de Oportunidades

Além das bolsas de estudo, o ProBem vai fazer a mediação e integração desses jovens ao mercado de trabalho, com órgãos e entidades públicas, organizações não governamentais e empresas privadas por meio de um Banco de Oportunidades.

O estudante beneficiário deverá assumir o compromisso de realizar as atividades disponibilizadas no Banco de Oportunidades como condição de permanência no programa, cumprindo compromissos sociais divididos em três pilares:

  1. experiência profissional;
  2. realização de cursos de aperfeiçoamento;
  3. e participação em ações sociais.

E para quem era beneficiário do antigo Bolsa Universitária?

Segundo a OVG, os alunos contemplados com o Programa Bolsa Universitária deverão renovar suas inscrições, em prazo a ser definido pela administração do ProBem, para promover a necessária adequação aos seus termos, sob pena de exclusão.

Quem recebe até 50% do valor da mensalidade no Bolsa Universitária na data da migração passará a contar com valores correspondentes a 50% da mensalidade no ProBem.

Os beneficiários de bolsa parcial do Bolsa Universitária que recebem acima de 50% do valor da mensalidade na data da migração serão migrados para o ProBem com os respectivos percentuais, sendo eles mantidos durante a vigência do benefício.

Já os bolsistas contemplados com a concessão de bolsa integral, inclusive aqueles que tiveram o benefício transferido para parcial em virtude do desempenho acadêmico abaixo de 80%, serão migrados para o Programa Universitário do Bem na condição de bolsista integral, recebendo 100% do valor da mensalidade.

LEIA MAIS ➡️ Confira o calendário 2021 de aulas em Goiás, Goiânia e Aparecida


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook