Brasil: o país dos protocolos

Dhiogo José Caetano – professor, historiador, jornalista, escritor
Dhiogo José Caetano – professor, historiador, jornalista, escritor

Brasil o país dos protocolos, dos cabides de emprego e da corrupção. Até quando viveremos atormentados pela corrupção que de forma complexa tortura o “povo brasileiro”?

Há duas semanas compartilhei com amigos e familiares a conquista do primeiro lugar no processo seletivo simplificado de professores de nível médio e apoio administrativo para a secretaria de ciências e tecnologia – SECTEC. Processo de recrutamento realizado pela SEGPLAN – Secretaria de estado de gestão e planejamento/Escola de Governo Henrique Santillo – Goiás.

Após a divulgação do resultado final do processo seletivo, fiquei aguardando o edital de convocação; notando a demora entrei em contato com SEGPLAN, obtendo a informação que não seria divulgado nenhum edital de convocação, as vagas seriam completadas pela demanda existente na unidade.

Munido de todas as informações necessárias entrei em com a diretora da SECTEC Unidade de Uruana, Idamir Correia, que por telefone me afirmou que naquela unidade não há necessidade de um profissional para desempenhar a função a qual fui classificado.

Indignação

Fico indignado com a realidade deste país, os protocolos são forjados para “ludibriar a massa”, tudo é feito conforme a lei, mas o desfecho dos mesmos acaba sendo concluído pelos corruptos que estão no poder. Aqui não têm responsáveis, não tem igualdade, não tem um verdadeiro representante do povo. Em contrapartida temos pessoas responsáveis pela corrupção, pelo abuso de poder e pelo autoritarismo que se tornou algo natural na sociedade atual.

Cabe neste contexto a pergunta feita por Ângelo Segrillo: “nós, professores, intelectuais em geral, frequentemente acusamos os políticos de patrimonialismo, de usar o público como se fosse privado, e de deixar interesses privados se sobreporem ao público. Mas não será exatamente isso que ocorre nesses casos de favoritismo, nepotismo ou compadrio quando candidatos são favorecidos por estarem já conectados a alguma rede, grupo ou mesmo indivíduo local?”

Que país é este? Até quando viveremos esta realidade?

Dhiogo José Caetano: professor, escritor e jornalista

Comendador da Academia de Letras de Goiás. Senador da FEBACLA Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Arte. Membro das Academias: ALB (Brasil/Suíça), ACLAC (RJ), ACLA (MG), CACL (ES), ARTPOP(RJ) e Os Confrades da Poesia (Portugal)

Comentários do Facebook