BRT: outra página de improvisos – Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

 

Eixo-anhanguera, um dos primeiros BRTs do Brasil (Foto: Reprodução)
Eixo-anhanguera, um dos primeiros BRTs do Brasil (Foto: Reprodução)

BRT: outra página de improvisos

Espécie de Eixo Anhanguera moderno, o BRT Norte-Sul é mais uma obra de vulto que evidencia a falta de comunicação e harmonia entre os poderes públicos em Goiânia. A Prefeitura planeja e executa a toque de caixa, sem obedecer exigências legais básicas, o Governo concede licença ambiental seguindo critério político e o Ministério Público somente decide exercer o papel fiscalizador com o ritmo das obras já acelerado. Uma sucessão de equívocos que compromete a credibilidade dos órgãos que deveriam zelar pelo investimento correto dos recursos públicos.

Exigências de araque

E não se trata apenas do BRT Norte-Sul. Relatórios de impacto ao meio ambiente e também de vizinhança são verdadeiras peças fictícias na visão dos governantes em Goiás. Para isso basta lembrar os transtornos causados nas proximidades de viadutos e corredores do transporte coletivo, construídos ao longo da última década. Ninguém discute a importância e a necessidade das obras, porém o desejo do cidadão é que houvesse maior discussão, transparência e fiscalização antes do início das intervenções estruturais.

Obra? Nem sempre

Um exemplo clássico de criatividade foram as alterações nas ruas e avenidas que circundam a Praça do Cruzeiro, no Setor Sul. A tese inicial de construção de uma trincheira ou elevado só não foi adiante em função do tombamento histórico do local. Diante do impasse, os técnicos da Secretaria Municipal de Trânsito se viram obrigados a encontrar outra alternativa para o escoamento dos veículos. O resultado acabou sendo tão positivo que mudou até mesmo a opinião de moradores contrários às medidas.

Vice-governador José Eliton (PP)
Vice-governador José Eliton (PP)

Balões de ensaio

O vice José Eliton é o mais fiel dos aliados, supersecretário de Marconi Perillo e nome forte ao Governo de Goiás em 2018. No currículo, ironizam deputados de oposição na Assembleia, falta apenas assumir a condição de síndico no prédio onde mora. Recado aos tucanos: quem é muito cotado pra várias posições costuma ficar chupando o dedo. A única certeza para Zé Eliton é a cadeira no Palácio das Esmeraldas com a desincompatibilização de Marconi em abril de 2018.

O amor está na pista

Não aconteceu em Goiânia, mas sim em Curitiba. Escrevi neste espaço que as baladas iriam atrair o atacante Zé Love, recém contratado pelo Goiás. E não deu outra. Ele é maior de idade, vacinado e pode frequentar o ambiente que desejar nas folgas do time. Mas por outro lado, Zé Love não tem como se esquivar das críticas por ir a uma boate após goleada por 3 a 0 para o Atlético/PR e também pelo alto salário que recebe. É o preço da fama e da cobrança ao jogador profissional neste país.

Comentários do Facebook