Com redução de casos, Aparecida flexibiliza mais escalonamento

De 2ª a 6ª feira, Prefeitura pretende fechar 2 macrozonas por 1 dia da semana. Aos domingos, atividades foram liberadas.

Escalonamento regional em prática na Avenida Alvorada, Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia | Foto: Enio Medeiros
Escalonamento regional em prática na Avenida Alvorada, Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia | Foto: Enio Medeiros

No próximo dia 2 de maio, Aparecida de Goiânia entra em cenário verde de risco baixo.

Com a cidade dividida em 10 macrozonas, de 2ª a 6ª feira, 2 macrozonas fecharão as atividades não essenciais 1 dia da semana.

O formato tem intuito de impedir os avanços da Covid-19 no município.

No dia 1º de março, quando medidas rígidas fecharam todo o comércio, 86% dos leitos públicos de UTI Covid estavam ocupados e com alta busca por internação.

Foram abertos novos leitos para atender a demanda, chegando a 352 leitos exclusivos para Covid-19.

Após adesão de 98% da população ao isolamento intermitente, a cidade experimentou queda no coeficiente de prevalência da doença, chegando a marcar 0,88 no dia 17 de abril.

Dados do último boletim epidemiológico apontaram, no dia 26 de abril, 864 casos ativos em Aparecida e 54% de ocupação nos leitos de UTI.

“Os cuidados com a saúde devem continuar rigorosamente e as medidas de prevenção devem ser cumpridas”, alertou o secretário de Saúde, Alessandro Magalhães.

Ele explica que todas as atividades econômicas continuam submetidas ao regime de isolamento social intermitente por escalonamento regional.

Portanto, todas as atividades serão fechadas observando a macrozona uma vez entre 2ª e 6ª feira.

Aos domingos, todas as macrozonas poderão reabrir cumprindo com os protocolos sanitários.

Festas, eventos e shows com música continuam suspensos por tempo indeterminado.

Restaurantes e bares e outros estabelecimentos de alimentos e bedidas, praças de alimentação, lanchonetes, casas de chá, suco e similares poderão funcionar até 22h.

 

Comentários do Facebook