Mãe se desespera após filho morrer esperando vaga no corredor do HMI

Devido à superlotação da unidade, menino teve que ficar no colo da mãe em uma cadeira na sala de espera enquanto recebia o tratamento prescrito

Criança de 5 anos morre no corredor do Materno Infantil (HMI) de Goiânia | Foto: Cedida por Bill Guerra
Criança de 5 anos morre no corredor do Materno Infantil (HMI) de Goiânia | Foto: Cedida por Bill Guerra

Uma criança de 5 anos morreu esperando por vaga em leito no Hospital Materno Infantil (HMI) de Goiânia na última quinta-feira, 28.

Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram o desespero da mãe da criança.

Parentes e até mesmo funcionários da unidade se emocionaram na tentativa de consolar a mulher.

De acordo com nota emitida pelo hospital, o óbito foi confirmado às 13h55, quase 11h depois da entrada da criança no HMI.

O menino é velado na manhã desta sexta, 29, e deve ser sepultado às 15h no Cemitério Jardim da Saudade, no Parque dos Buritis.

Tratamento na sala de espera

O HMI ainda informou que o paciente foi “foi atendido por médico Pediatra e iniciados os procedimentos terapêuticos e diagnósticos”.

Devido à superlotação da unidade, porém, a criança teve que ficar no colo da mãe em uma cadeira na sala de espera enquanto recebia o tratamento prescrito.

Horas depois, “o quadro da criança evoluiu com muita gravidade não respondendo às manobras de ressuscitação”, relatou o hospital.

A causa da morte da criança é investigada pelo Serviço de Verificação de Óbitos (SVO).

Confira a íntegra da nota do Hospital Materno Infantil de Goiânia:

“O Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) informa que o paciente D.C.S., de 5 anos, deu entrada no hospital às 3h da madrugada do dia 28 de março (quinta-feira).

Passou pela Classificação de Risco sendo classificado como ficha amarela. Foi atendido por médico Pediatra e iniciados os procedimentos terapêuticos e diagnósticos.

Conforme amplamente divulgado e informado, o HMI encontra-se em superlotação constante, e diante desta realidade, criança permaneceu nas cadeiras com a mãe, recebendo o tratamento prescrito e aguardando vaga em leito.

Porém, o quadro da criança evoluiu com muita gravidade não respondendo às manobras de ressuscitação na sala de reanimação, e às 13:55 foi constatado óbito.

O corpo foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), para investigação da causa da morte.”

Morador de rua alimenta cães diariamente em Goiânia e vídeo viraliza


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook