Obras do Hospital público veterinário de Goiânia são autorizadas

Serão oferecidos resgate de animais vítimas de acidentes, emergência 24h, vacinação, castração e mais. Veja onde ficará a unidade

Hospital público veterinário Goiânia
Obras do Hospital público veterinário de Goiânia foi autorizada para iniciar | Foto: Ilustração

O início das obras do Hospital Público Veterinário de Goiânia foi autorizado pela prefeitura na última terça, 11.

Inicialmente, a Unidade Ambiental de Saúde e Bem-Estar Animal terá capacidade para 100 atendimentos diários.

Serão oferecidos atendimento hospitalar cirúrgico e internação, atendimento emergencial 24h, vacinação e castração.

Outros serviços prestados são:

  • resgate de animais vítimas de acidentes,
  • fisioterapia,
  • adestramento,
  • atendimento farmacológico
  • e exames laboratoriais.

A verba utilizada para o funcionamento do hospital virá do fundo do meio ambiente, e não aquela usada para a saúde da população.

Hospital Público Veterinário de Goiânia

A autorização se deu em reunião do prefeito Iris Rezende com secretários e o vereador Zander Fábio (Patriotas), autor do projeto na Câmara.

Obras hospital público veterinário Goiânia
Reunião entre Iris Rezende, secretários e o vereador Zander Fábio autorizou o início das obras do hospital público veterinário de Goiânia | Foto: Divulgação

Iris assinará o decreto para regulamentar o projeto de lei que cria o hospital público veterinário para atender:

  • Animais domésticos;
  • Animais domesticados;
  • Animais nativos;
  • Animais exóticos abandonados ou pertencentes à donos sem condições financeiras;
  • Animais encaminhados por órgãos públicos, como ONGs.

O hospital funcionará no antigo prédio do centro de zoonoses do setor Balneário Meia Ponte.

Segundo Zander, após assinatura do decreto, as obras ficarão prontas em até 90 dias.

Consulta dermatológica gratuita será oferecida em Goiânia nesse sábado


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook