O Estatuto da Escravidão

Ru-Rubens de Souza Fernandes é poeta (letra e musica)
Ru-Rubens de Souza Fernandes é poeta (letra e musica)

O! O! O!

A Escravidão Ainda Ecoa!!!,

Hoje Descrimina O Cidadão,

Que Mora No Morro Da Gamboa,

O! O! O!,
O! O! O!,

Diziam Que O Negro,

Só Andava Atoa.

Mas Foi Ele Quem Construiu,

A Riqueza Da São Paulo,

Da Fina Garoa,

O! O! O!,

 

O! O! O!,

Nossa Escravidão,

Nunca Sumiu!!!,

Ganhou Um Estatuto,

E Se Constituiu,

Continua Descriminando

Em Uma Boa

 

O! O! O!

O Brasil Agora Enriqueceu!!!,

E Se Transformou,

Em Uma Grande Nação.

 

Só Que Ainda,

Não Aprendeu,

A Dar A Cada Um,

Seu Devido Quinhão!.

 

Digo O Quinhão Da Igualdade,

Previsto Na Nossa Constituição,

Temos Direitos E Liberdade,

De Criticar A Nossa Nação.

Ru-Rubens de Souza Fernandes é poeta (letra e musica)

 

Comentários do Facebook